terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Fantasticamente inútil

No último domingo, a Rede Globo ocupou-se do novo presidente Barack Obama. Nada de se estranhar, no entanto, o foco foi diferente. Após a posse, Obama participou de vários bailes ao lado da primeira-dama Michelle, e o programa Fantástico gastou vários e vários minutos analisando o estilo de dança do presidente dos Estados Unidos, com direito a opiniões de especialistas sobre o “dois-pra-lá, dois-pra-cá” presidencial.

Numa atualidade de crise econômica, guerras, corrupções, tragédias naturais, desperdiçar o horário nobre é vergonhoso. Não que a programação deva ser preenchida apenas por notícias ruins, mas o povo brasileiro é carente de cultura, e o maior veículo de comunicação do País poderia, quem sabe, ocupar-se de coisas mais úteis.

7 comentários:

Joyce Mourão disse...

É uma triste verdade, mas o Brasil é um país governado por um canal de televisão, como já mostrava o documentário: "Além do cidadão Kane". E a maior vergonha é que essa grande influência da mídia expõe apenas fatos semm nenhuma análise critica. Como exemplo, temos o Jornal Nacional, o jornal mais visto pelos brasileiros, honrado por tantos prêmios, mas que se for analisado, nao apresenta nada além de notícias vazias, onde não há um aprofundamento, uma reflexãooo critica sobre o tema exposto. Mas a culpa nao é apenas da influencia da mídia, e sim da preocupação que o brasileiro tem em saber de assuntos futeis aoo invés de se preocuparem com guerras, tragédias, etc... A midia vende o produto... os alienados é qm compram.. triste verdade... Não é atoa que esse país nao vai pra frente!

Julio Amaral disse...

Concordo plenamente com o comentário. O presidente dos Estados Unidos tem um papel fundamental neste momento em que o mundo precisa de transformações políticas urgentes. A mídia decidiu fazer de Barack Obama um pop-star e, o que é pior, ele está disposto a alimentar os holofotes. O novo presidente precisa ter muito cuidado para não ser a mais nova vítima da vaidade.

Jackson Pinheiro disse...

Victor,

Até que enfim, amigo!

Parabéns pelo seu blog.

Matérias objetivas.

Aproveito o ensejo para parabeniz-á-lo pelo artigo "Fantasticamente inútil". Texto inteligente.

Abraços!

Jackson Pinheiro disse...

Victor,

Até que enfim, amigo!

Parabéns pelo seu blog.

Matérias objetivas.

Aproveito o ensejo para parabenizá-lo pelo artigo "Fantasticamente inútil". Texto inteligente.

Abraços!

Anônimo disse...

Há de se entender que, nós profissionais da imprensa temos grande responsabilidade com nossos leitores, ouvintes, telespectadores. Infelizmente, num pais em que o que vale é o poder da empresa e não da imprensa, temos que repensar muitas coisas. Quem paga dita as regras e, como bem foi escrito neste blog - "Palavras Mofadas"- muitas vezes palavras podem simbolizar "fracassos". Por outro lado, não vamos também generalizar. Há bons e maus profissionais. Há bons e maus programas e há bons e maus ouvintes, leitores, etc... A escolha entre o bem e o mal, o bom e o ruim cabe a cada um.

Mada disse...

Parabéns! Num curto espaço você resumiu o pensamento de muitos.

Elaine disse...

Parabéns, Mariana. Adorei seu comentário.