segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Pobre futebol alagoano


O futebol alagoano é marcado pelo amadorismo. Os prazos para as reformas dos estádios foram estendidos, os responsáveis pelas praças esportivas dormiram em berço esplêndido e, às vésperas de o Estadual começar, a Federação decidiu suspender o campeonato por tempo indeterminado.Estamos diante de um jogo de erros. As vistorias deveriam ser feitas com muita antecedência para que um planejamento adequado para a competição fosse elaborado. A FAF errou ao prorrogar os prazos e os mandantes dos jogos também, porque não acreditaram na punição e pouco fizeram para adequar os estádios às exigências da comissão. Por fim, o presidente da FAF, Gustavo Feijó, tomou, ontem, uma decisão totalmente equivocada. A suspensão do campeonato tira a credibilidade da competição e prejudica os clubes que investiram e deixaram suas praças esportivas aptas, além de afastar torcedores e patrocinadores. Todos perderam com essa atitude de Feijó. O mais correto seria, por exemplo, promover três jogos na quarta-feira nos estádios liberados - Gerson Amaral, em Coruripe, Nelson Peixoto Feijó, em Maceió, e Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios - e, na quinta, completar a rodada com uma partida em uma dessas praças. Dessa forma, o campeonato seria disputado até que outros estádios realizassem suas reformas e os justos não pagariam pelos pecadores.

Nenhum comentário: