domingo, 24 de maio de 2009

Começa o Brasileiro da Série C

O Brasileiro da Série C começa hoje sob olhares desconfiados dos torcedores. A competição terá times mais qualificados, mas a falta de apoio da Confederação Brasileira do Futebol a transformou numa disputa deficitária. Para diminuir o prejuízo, a própria CBF resolveu modificar a fórmula da competição.
A princípio, a Série C seria disputada com duas chaves de dez clubes, mas mudou. Este ano, os 20 clubes foram divididos em quatro grupos de cinco times. Os dois primeiros classificados de cada chave passam para o mata-mata. Quem passar pela segunda fase já está nas semifinais e conseqüentemente na Série B do Brasileiro, já que os quatro primeiros vão subir.
O caminho para a Segundona ficou mais curto, mas, com o rebaixamento de quatro clubes, o risco de queda também aumentou. Os últimos colocados de cada chave vão ser rebaixados para a Série D. “É a chamada competição de tiro curto. Quem não conseguir arrumar o time na primeira fase, vai se dar mal. Mas confio no trabalho que o CRB fez e acho que vamos brigar para subir”, comentou o diretor de futebol do Galo, Marcos Lima Verde.

Agenda de hoje

15h00 Ituiutaba x Guaratinguetá
16h00 Águia de Marabá x Rio Branco-AC
16h00 Confiança-SE x Icasa
16h00 Salgueiro x CRB
16h00 América-MG x Gama
16h00 Marcílio Dias-SC x Caxias
16h00 Criciúma x Marília
18h00 Paysandu-PA x Sampaio Correa-MA

Período - A Terceirona vai ser disputada de hoje até o dia 22 de novembro.

Galo estreia - O CRB inicia hoje sua jornada na Terceirona às 16h, contra o Salgueiro, no interior de Pernambuco. “Temos um dos orçamentos mais baixos da competição, mas estamos fazendo um trabalho sério e acreditamos na capacidade de comando do técnico Arnaldo Lira”, disse o vice de futebol do CRB, Márcio Lessa. “Nossa folha total do departamento de futebol, incluindo jogadores, comissão técnica e funcionários, será de apenas R$ 100 mil”, revelou.

ASA - O Alvinegro só estreia na Série C dia 7 de junho, contra o CRB, no Estádio Rei Pelé. Até lá, o técnico Vica vai ter tempo para encaixar as novas peças e mandar a campo um time mais forte que o campeão alagoano. O ASA terá uma folha salarial de aproximadamente R$ 110 mil na Terceirona e confia na boa base que disputou o Estadual para se destacar no Brasileiro.

Um comentário:

Anônimo disse...

Estamos firmes na torcida pelo Galo Mineiro.