domingo, 3 de maio de 2009

A decisão do Carioca está em foco



A decisão de hoje do Campeonato Carioca vai ser equilibrada, mas o favorito é o Flamengo. Antes de qualquer coisa, vale uma rápida explicação sobre os critérios que a imprensa utiliza para apontar o favoritismo de um time. O primeiro é técnico, a avaliação de jogadores, de setores das equipes e, por fim, do conjunto. O segundo é tático, como o time assimilou as ordens do treinador, e o terceiro é emocional, a confiança dos atletas e até a perigosa soberba.
Bem, esclarecidos esses critérios, não resta dúvida que o Fla entra mais inteiro na final. O Rubro-Negro conquistou a Taça Rio em cima do Botafogo, arrancou um empate no primeiro jogo da decisão quando o adversário foi melhor e não tem nenhum desfalque nesta tarde. O Alvinegro perdeu simplesmente dois de seus melhores jogadores, Maicosuel e Reinaldo, machucados. Além disso, o zagueiro Emerson entra em campo com a confiança comprometida após marcar dois gols contra nos duelos com o Fla.

A armadilha - Mas nem tudo está perdido para o Botafogo. O técnico Ney Franco reconhece as deficiências de seu time e resolveu preparar uma armadilha para o rival. O Alvinegro vai jogar no 3-6-1, com apenas Victor Simões no ataque. Desta forma, ele pretende explorar os erros e uma possível soberba rubro-negra, velha inimiga do Flamengo em jogos decisivos. Historicamente, o Fla prefere entrar em campo nas finais de igual para igual com o adversário ou até com uma certa inferioridade. Inflamados pela torcida, os atletas evocam a mística da camisa e conseguem se superar. Quando a situação se inverte, muitas vezes, a equipe se abala com a badalação excessiva da semana e acaba sofrendo derrotas inesperadas.
Taticamente, é óbvio que Ney Franco vai procurar anular hoje as duas principais armas de Cuca, as laterais. A ordem é acabar com os espaços de Léo Moura e Juan e congestionar o meio-campo. O treinador alvinegro aposta também na impaciência dos rubro-negros e na falta de pontaria do ataque adversário para tentar surpreender nos contra-ataques rápidos puxados por Victor Simões e Eduardo.

A bola é minha -
Cuca vai continuar explorando a posse de bola. O Fla consegue manter a pelota sob o seu domínio na maioria dos jogos desta temporada e, aos poucos, vai avançando suas peças para dar o bote. O problema do time, como já escrevi hoje e em outros textos, é a má fase de seus atacantes, que deve acabar apenas quando Adriano estrear. Como o Imperador não joga hoje, o time precisa arriscar chutes de fora da área e tentar criar mais oportunidades para buscar um gol capaz de abrir a provável retranca do Alvinegro. Se não conseguir, existe uma grande probabilidade de a taça ser decidida nos pênaltis.

Descanso - Um ponto favorável ao Botafogo nesta decisão é o fato de o time não ter disputado nenhuma partida no meio de semana. O Flamengo jogou, e mal, contra o Fortaleza, pela Copa do Brasil, e empatou por 0 x 0. O desgaste rubro-negro é um pouco maior.

Pela hegemonia - Se passar hoje pelo Botafogo, o Fla conquista o tricampeonato estadual, seu 31º título carioca e terá a hegemonia do futebol do Rio de Janeiro.

Ficha técnica

Flamengo - Bruno; Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Willians, Ibson, Kleberson e Juan; Zé Roberto e Emerson.

Botafogo - Renan; Leandro Guerreiro, Juninho e Emerson; Alessandro, Fahel, Léo Silva, Túlio Souza, Eduardo e Thiaguinho; Victor Simões.

Hora: às 16h
Local: Maracanã
Árbitro: Péricles Bassols. Auxiliares: Vagner Santos e Vinícius Almeida

Um comentário:

Anônimo disse...

Vai ter que dar Mengooooooooooooo, não é Minho??????????????????