quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Por que non te callas, Maradona?

Dunga não gosta de Maradona. Uma das derrotas mais dolorosas do técnico brasileiro, em seus tempos de jogador, foi contra a Argentina de Diego. Em 1990, o volante não conseguiu parar uma arrancada do camisa 10, que deixou Caniggia na cara do gol de Taffarel. O resultado foi a desclassificação precoce do Brasil na Copa da Itália e uma saraivada de críticas ao jogador que marcaria uma geração, até então, derrotada.
Mas o tempo passou, o volante se tornou capitão e, na raça, ajudou o Brasil a conquistar o tetra. Em 1994, enquanto Maradona deixava o Mundial abalado por um escândalo de doping, Dunga erguia a taça. Apesar do título, o brasileiro sempre foi alvo de piadas do craque argentino. No ano passado, quando assumiu o comando da seleção do seu país, Diego evitou comparações com o time de Dunga. "Eu não joguei nem farei o meu time jogar como Dunga. Ele fazia faltas, e eu escapava delas", atacou.
O treinador brasileiro não respondeu às criticas e seguiu o seu caminho. À frente da seleção conseguiu resultados expressivos: foi campeão das copas América e das Confederações e colocou o seu time na primeira colocação das Eliminatórias. Já o craque argentino coleciona fracassos, como a goleada histórica sofrida por sua equipe no dia 1º de abril deste ano, contra a Bolívia, por 6 x 1. O Brasil já está praticamente classificado para a Copa da África, e a Argentina precisa vencer o clássico do próximo dia 5, em Rosário, para não ter a sua vaga ameaçada. Os jogadores da geração 80 ganharam experiência, multiplicaram as preocupações e, agora, se enfrentam nesse esperado duelo. O brasileiro, enfim, terá a chance de parafrasear o rei Juan Carlos, da Espanha, e, com uma vitória definitiva, responder às agressões de Don Diego: "Por que non te callas, Maradona?" Seria o desfecho perfeito para essa velha peleja.

Modéstia à parte - Fanfarrão como sempre, Maradona aproveitou os holofotes para dizer que a seleção argentina tem os melhores jogadores e que vai derrotar o Brasil no clássico. Mesmo na crise, ele não consegue cortejar a modéstia.

Chile - Além da Argentina, a seleção brasileira vai enfrentar, em setembro, o Chile em Salvador. O adversário do dia 5, inclusive, merece todo o respeito, já que tem 26 pontos nas Eliminatórias e ocupa a segunda colocação. O Brasil é o líder, com 27.

Nenhum comentário: