terça-feira, 29 de setembro de 2009

Analisando o Brasileirão

A 26ª rodada foi marcada por resultados previsíveis envolvendo os líderes do Brasileirão. Jogando em casa, o Palmeiras teve dificuldades para superar o Atlético-PR no último sábado, mas venceu por 2 x 1 e chegou a 50 pontos, cinco a mais que o segundo colocado. A vantagem é relevante, mas ainda não pode fazer o Verdão respirar com tranquilidade na ponta.
No clássico paulista, São Paulo e Corinthians empataram por 1 x 1. O Tricolor sabia que o Timão iria lhe dar muito trabalho no Morumbi e até esperava esse tropeço. Mesmo assim, aposto que o time de Ricardo Gomes vai lutar até o fim do campeonato para ficar com a taça.
Mas, sem dúvida, o destaque da rodada vai para o Goiás. O Alviverde enfrentou um time dificílimo de ser batido, saiu perdendo, mas conseguiu a virada sobre o Grêmio, venceu por 2 x 1 e assumiu a vice-liderança, com 45 pontos.
Inter e Flamengo jogaram num campo encharcado, e o empate por 0 x 0 era previsível. A chuva acabou com o gramado do Beira-Rio, e o gol só sairia numa bola parada. Pior para o Colorado, que perdeu terreno no campeonato e já não demonstra ter tanta força para chegar no Palmeiras.
Jogando em casa, o Atlético-MG não tomou conhecimento do Santos, venceu por 3 x 1 e continua lutando pelas primeiras colocações. Hoje, o Galo ocupa o 5ª lugar, com os mesmos 44 pontos do Inter, mas perdendo no número de vitórias (13 x 12).
Faltando doze rodadas para o término da competição, vejo São Paulo e Palmeiras com mais possibilidades de ficar com o título. O Tricolor tem um bom elenco, estrutura equilibrada e pode dar outra arrancada a qualquer momento. O Verdão tem o melhor meio-campo do País, com destaque para Diego Souza e Cleiton Xavier, e, após a chegada de Vágner Love, resolveu os sérios problemas ofensivos. Para completar, o técnico Muricy Ramalho conhece como poucos os atalhos do Campeonato Nacional.

Libertadores - O cenário da Taça Liberadores também começa a ficar bem desenhado. Os cinco primeiros são favoritos para chegar à competição, com a possibilidade de uma equipe sair da zona dos 30 e tantos e atropelar na reta final. Para mim, devem brigar pelos quatro postos Palmeiras, São Paulo, Goiás, Inter, Atlético-MG e Grêmio.

Poder defensivo - Palmeiras e São Paulo são favoritos a conquistar o título também pela força de seus sistemas defensivos. Os dois times sofreram apenas 25 gols em 26 rodadas e têm os goleiros menos vazados da competição. O terceiro melhor é o Grêmio, que levou 31 gols.

Rebaixamento 1 - A rodada deu sobrevida a Fluminense e Sport, que venceram, respectivamente, Avaí e Santo André em casa e diminuíram um pouco a diferença para o primeiro time fora da zona de degola, o Náutico, que perdeu do Coritiba por 2 x 0 e ficou nos 26 pontos. O cenário do rebaixamento tem os atores principais, mas ainda está longe de ser definido. De cinco equipes (Flu, Sport, Botafogo, Santo André e Náutico), apenas uma vai escapar. Para esses, começa a ser disputado a partir de agora um campeonato à parte.

Rebaixamento 2 - Como está havendo muitos empates e derrotas das equipes ameaçadas pela queda, existe neste ano uma forte tendência de que o número mágico para o não rebaixamento caia em relação aos outros anos. Pelo andar da carruagem, diria que é possível que um clube escape com apenas 42 pontos. A projeção de 48 pontos feita por alguns matemáticos é irreal.

Turma da marola - Daqui a quatro ou cinco rodadas, vai aparecer no Brasileirão a chamada turma da marola, que não irá lutar pelo título, Libertadores ou contra o rebaixamento, e terá menos ímpeto para a sequência da competição. Quem pegar mais times dessa faixa, terá mais chances de alcançar seus objetivos no final do campeonato.

Artilheiros - Adriano, do Fla, Jonas, do Grêmio, e Diego Tardelli, do Atlético-MG, são os goleadores do Brasileirão, com 13 gols marcados. Os dois primeiros passaram em branco na rodada e Tardelli marcou duas vezes. Curiosamente, os três jogaram 21 das 26 partidas de seus times no Nacional.

Assistências - O alagoano Cleiton Xavier continua liderando o ranking das assistências da Série A. Ele já deixou os companheiros na cara do gol 14 vezes em 23 rodadas. O segundo colocado é o lateral Julio César, do Goiás, com 12 assistências em 26 partidas disputadas.

Descendo - O Botafogo, que perdeu em casa por 3 x 1 para o Vitória e ficou mais perto do rebaixamento. O time é o rei do empate no Brasileiro, colecionando 13 resultados iguais, e precisa de uma chacoalhada para recuperar o ritmo.

Subindo - O Palmeiras, que venceu dois jogos importantes, contra Cruzeiro e Atlético-PR, e abriu vantagem na liderança do Brasileirão. Sábado, mesmo sem quatro titulares, o Verdão se impôs no Palestra Itália e deixou sua torcida ainda mais animada.

Nenhum comentário: