terça-feira, 15 de setembro de 2009

ASA é franco-atirador na final da Série C

O ASA não vai mais jogar pressionado em Belo Horizonte. A derrota do último domingo, por 3 x 1, deixou o América-MG na condição de franco favorito ao título da Série C, e, ao valente Alvinegro, resta partir para Minas como zebra.
O time alagoano conseguiu fazer uma partida equilibrada contra o Coelho, mas esteve desatento em momentos cruciais e facilitou a vida do adversário. O Alçapão do Coaracy perdeu a força diante da boa equipe mineira e desanimou parte da torcida alvinegra, que está feliz da vida com a vaga na Série B, mas ainda sonha com a conquista do primeiro título nacional do ASA e do Estado.
As dificuldades vão se multiplicar no Independência. O América venceu os seis jogos que disputou em casa nesta Terceira Divisão, terá o apoio de sua fanática torcida e poderá perder até por dois gols, desde que os alagoanos não marquem mais de três vezes. A vantagem é toda mineira, mas, como franco-atirador, o Alvinegro vai entrar em campo mais leve: se perder, terá cumprido a missão histórica de chegar à Segundona; se vencer, fará valer sua fama de imortal e incendiará Arapiraca pelas próximas 40 luas.

Problema e solução - O técnico Vica perdeu o zagueiro Paulão, expulso na partida do último domingo, para a finalíssima da Série C. Quem tem retorno garantido é o centroavante Nena, que cumpriu suspensão e terá a chance de se isolar na artilharia do campeonato. Com oito gols marcados, o atacante está empatado com Marciano, do Icasa, e pode levar para casa uma grande conquista pessoal.

Primeira derrota - O ASA perdeu neste domingo pela primeira vez em Arapiraca neste Brasileiro da Série C. Até o jogo contra o América, o Alvinegro havia vencido quatro partidas e empatado duas. Agora, o time precisa quebrar a invencibilidade do Coelho em Belo Horizonte para chegar ao título nacional.

Givanildo - Técnico do América, Givanildo Oliveira disse que a tranquilidade da equipe foi fundamental para a vitória no último domingo. Ele lembrou que os jogadores demonstraram equilíbrio ao longo da partida e conseguiram esfriar o time do ASA nos momentos decisivos. “Se nós não tivéssemos equilíbrio, não conseguiríamos ganhar, pela maneira que o ASA entrou em campo, pressionando. Eles dificultaram as coisas, mas nós soubemos ter tranquilidade para buscar a vitória”, comentou.

Nenhum comentário: