segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Altitude 2 x 1 Brasil

Mais uma vez, o Brasil se deu mal na altitude. Sem fôlego, os jogadores da seleção foram presas fáceis para os bolivianos, que venceram ontem por 2 x 1, em La Paz. Apesar do tropeço, o time de Dunga se mantém na ponta das Eliminatórias, com 33 pontos, vencendo o Paraguai nos critérios de desempate. Olivares e Marcelo Moreno (ex-Cruzeiro) marcaram para os donos da casa, com Nilmar descontando para o Brasil.

Doping - Já escrevi várias vezes e não me canso de repetir: os jogos na altitude não deveriam mais ser realizados. Os donos da casa, acostumados com a pressão, levam uma vantagem enorme em relação aos visitantes. Diria que é um doping com a chancela da Fifa. O mais grave disso tudo é que, de acordo com o próprio médico da seleção José Luiz Runco, a vida dos jogadores é colocada em risco.

Avaliação -
É impossível avaliar a seleção ou qualquer jogador diante das condições impostas em um jogo disputado a 3600m. Dunga poderá observar melhor seu grupo na quarta-feira, às 19h, contra a Venezuela, em Campo Grande.

Invencibilidade - O Brasil perdeu ontem uma invencibilidade de 19 partidas. Antes deste jogo em La Paz, a última derrota da seleção tinha sido registrada no dia 15 de junho do ano passado, contra o Paraguai.

Bolívia - Árias, Zabala, Rivero, Raldes e Ignacio Garcia; Leonel Reyes, Olivares, Ronald Gutiérrez e Abdón Reyes (Vaca); Marcelo Moreno (Pedriel) e Arce (Pachi). Técnico: Erwin Sánchez.

Brasil - Julio César, Maicon, Luisão, Miranda e André Santos (Elano); Josué, Daniel Alves, Ramires e Diego Souza (Alex); Nilmar e Adriano (Diego Tardelli). Técnico: Dunga.

Nenhum comentário: