domingo, 7 de fevereiro de 2010

Lesões ameaçam os selecionáveis

A Copa do Mundo terá início no dia 11 de junho, e um fantasma começa a assombrar os treinadores: as lesões. A partir de agora, quem sofrer cirurgias ou distensões vai ficar com a vaga ameaçada no Mundial. Se esses problemas atingirem os principais jogadores do mundo, a história da competição esportiva mais importante do Planeta pode ser alterada.
Nesta semana, o técnico Dunga deve ter levado um susto quando ficou sabendo da lesão de Kaká. O jogador do Real Madrid é uma das principais peças do da seleção brasileira e, segundo os jornais espanhóis, apresenta um quadro de pubalgia. De acordo com o médico da seleção, José Luiz Runco, a notícia não é desesperadora, já que o prazo de recuperação não deve ameaçar a convocação do jogador.
Ouvindo outros especialistas, posso informar que o problema de Kaká pode ser tratado sem a necessidade de cirurgia, desde que a lesão desapareça dentro de dois meses com um tratamento conservador. Até lá, infelizmente, a dúvida deve persistir e atormentar Dunga.
Também nesta semana, para aumentar a preocupação do treinador, o atacante Luís Fabiano sentiu uma lesão muscular no tórax. A recuperação deve ser rápida, mas não é nada confortável para a comissão técnica da seleção ver dois de seus principais jogadores longe dos gramados a menos de cinco meses para o Mundial. No caso de Fabuloso, o agravante é que ele sofreu uma séria lesão no tornozelo em dezembro e, quando voltava à ativa, se machucou outra vez.

Pelé, Zico e Romário - Três jogadores fundamentais para a seleção brasileira já sofreram sérias lesões às véspera ou até durante o Mundial. Em 1962, Pelé sofreu uma lesão muscular no segundo jogo e deixou a missão de ganhar a Copa com Mané Garrincha. Em 1986, Zico lutava contra um grave problema no joelho e jogou pouco. Sua ausência durante boa parte dos jogos enfraqueceu demais o time de Telê. Em 1998, Romário sofreu uma lesão muscular e foi cortado por Zagallo dias antes da Copa. Sem o Baixinho, o Brasil não teve forças para superar a convulsão de Ronaldo na final contra a França e foi uma presa fácil para a equipe de Zidane.

Fundamentais - Hoje, Kaká e Luis Fabiano são jogadores imprescindíveis para a seleção brasileira. Eles são o arco e a flecha da equipe e não seriam substituídos à altura caso não pudessem disputar uma partida da Copa da África. Nas demais posições, Dunga não teria tantas dificuldades para preencher eventuais baixas.

Ronaldinho - As notícias sobre noitadas de Ronaldinho Gaúcho antes do clássico contra a Inter foram péssimas para o jogador. Os pontos conquistados pelo meia após as boas exibições desta temporada vão perder o valor se Dunga descobrir que as informações são verdadeiras.

Robinho - Quem deve iniciar hoje a luta para reconquistar a confiança de Dunga é o atacante Robinho. De volta ao futebol brasileiro, ele deve estrear no Santos no clássico contra o São Paulo.





Nenhum comentário: