quinta-feira, 18 de março de 2010

Kaká começa a ser questionado

O meia Kaká atravessa um período de turbulência a 85 dias da Copa. Contratado a peso de ouro pelo Real, o camisa 10 da seleção brasileira viu o primeiro grande projeto do clube em 2010 se despedaçar na semana passada. Desclassificado pelo Lyon na Liga dos Campeões, o time merengue vai ter mesmo que se contentar nesta temporada com a luta pelo título espanhol.
As atuações apagadas do jogador abrem espaço para duas linhas de raciocínio. A primeira, bastante plausível, aponta para uma lesão complicada na região pubiana. De acordo com essa versão sustentada por boa parte da mídia especializada, o atleta sente muitas dores durante as partidas, tem seus movimentos limitados e, sem a força da arrancada, não coloca em prática o ponto mais forte do seu futebol.
A outra explicação para a queda de rendimento está ligada à adaptação ao Real Madrid. O estilo de jogo da equipe não foi assimilado pelo brasileiro, que também sofre com as pesadas cobranças da torcida e da imprensa espanhola.
Dos dois casos, o mais preocupante é, sem dúvida, a possibilidade de pubalgia, negada veementemente pelo atleta. Se estiver realmente convivendo com esta lesão, Kaká vai chegar à Copa do Mundo em condições físicas precárias, o que pode atrapalhar muito os planos de conquista da seleção. Em todas as campanhas vitoriosas do time de Dunga, a bola sempre carimbou o pé do camisa 10. Ele é hoje o único jogador imprescindível no esquema do treinador.

Nenhum comentário: