quinta-feira, 4 de março de 2010

Michel Bastos é um lateral burocrático

O lateral Michel Bastos ainda não me convenceu de que pode ser o titular da posição no Mundial. Ele tem habilidade, mas, como a maioria dos testados, tem dificuldades para cobrir a defesa. Contra a Irlanda, não comprometeu, mas também não ousou. Gilberto, que está no Cruzeiro, já não demonstra nesta temporada o mesmo futebol do final do ano passado e também está longe de ser unanimidade. Esse é, sem duvida, o setor mais carente da seleção, como foi a lateral-direita há poucos anos.

Kaká - A imprensa precisa pegar mais leve com Kaká. Muitos criticaram o craque no jogo contra a Irlanda, mas ele foi fundamental nos três lances capitais: sequência da jogada do primeiro gol, passe perfeito pela direita para conclusão imprecisa de Robinho e triangulação mágica com Grafite e Robinho no segundo gol. Além disso, puxou, e como, a marcação irlandesa.

Kaká II - O meia Kaká disse que o Brasil precisa aprender a jogar como grande favorito ao Mundial. Esse status só aumenta a pressão sobre os jogadores. "Alguns apontam o Brasil como favorito, e temos de aprender a jogar dessa maneira. É uma pressão que existe em qualquer grande seleção", comentou Kaká.

Adriano - Adriano vai à Copa. Ele é um dos homens de confiança de Dunga, mas não sei se vai ser o reserva imediato dos atacantes titulares, mesmo Luís Fabiano. Contra a Irlanda, ele ficou preso entre os zagueiros, e o time só melhorou com sua saída. Nilmar é mais veloz e agudo que o jogador do Flamengo, que pode ainda ser uma arma importante para determinadas situação de jogo.

Nenhum comentário: