terça-feira, 11 de maio de 2010

Análise da convocação final da seleção

O técnico Dunga foi coerente na convocação de hoje. Já escrevi outras vezes que, pelas características do treinador, a lista final para a Copa da África não teria surpresas. A maior disputa foi travada no gol, entre Gomes, do Tottenham, e Victor, do Grêmio. Talvez pela maior experiência, o primeiro levou a melhor e entrou no grupo.
A seleção é fraca? Não é, caros leitores. Atualmente, temos o sistema defensivo mais consistente do Planeta, com jogadores acima da média para quatro posições. Júlio César pode ser considerado o melhor goleiro do mundo, assim como o lateral Maicon e os zagueiros Lúcio, Juan e Thiago Silva também são incontestáveis. A dificuldade é a lateral-esquerda, que deve ter Michel Bastos como titular, mas há também grandes possibilidades de Daniel Alves ser deslocado para o setor.
Curiosamente, o Brasil tem dois laterais-direitos espetaculares, mas a safra não foi boa para a esquerda. Nas últimas Copas, penamos para encontrar um reserva para Cafu, mas, felizmente, a dificuldade foi resolvida em 2010. A maldição pegou a camisa 6.
No meio-campo, Dunga realmente ficou mais preocupado com a marcação. Gilberto Silva, Felipe Melo, Josué, Elano, Kleberson e Ramires são jogadores com mais características defensivas. O único talento ofensivo genuíno do setor é Kaká, que não atravessa um bom momento no Real Madrid e sofre com uma sequência de lesões. Seu reserva imediato é o contestado Julio Baptista. Dunga sabe que o Brasil corre riscos de sofrer apagões técnicos durante o Mundial se o craque não puder atuar, mas preferiu ser conservador em nome do grupo vitorioso que montou. Não concordo, mas respeito.
Para fechar, a grande expectativa da convocação se concentrava no nome do quarto atacante. Adriano rasgou a cartilha do treinador nesse ano. Faltou a treinos e jogos importantes do Flamengo, colocou seu nome até nas páginas policiais e se descuidou com a forma física. Se fosse convocado, Dunga apagaria todos os seus discursos desde 2006, quando assumiu a seleção. Não o fez. Tinha opções mais ousadas, como a inclusão de Neymar na lista, mas preferiu chamar Grafite (foto), que vem se destacando há muito tempo no Wolfsburg, da Alemanha, e não decepcionou no último amistoso. É uma boa aposta do treinador, que fechou a lista com os já esperados Luís Fabiano, Nilmar e Robinho.
Dunga inicia a preparação final para a Copa demonstrando poder de comando. Seus primeiros objetivos traçados após o Mundial de 2006 foram conquistados, já que venceu as copas das Confederações e América, e classificou o Brasil em primeiro lugar nas Eliminatórias. Agora, como qualquer treinador que assumisse o seu cargo, está diante do enigma da Esfinge. “Decifra-me ou te devoro”. O hexa é a resposta. Saberemos no dia 11 de julho se o treinador é capaz de encontrá-la na África.

RESERVAS - Foram chamados para a reserva Alex (Chelsea - zagueiro), Carlos Eduardo (Hoffenheim - meia), Ronaldinho Gaúcho (Milan - atacante), Sandro (Internacional - meia), Ganso (Santos - meia), Marcelo (Real Madrid - lateral) e Diego Tardelli (Atlético-MG - atacante). Esses jogadores ficam de sobreaviso. Se alguém de sua posição tiver que ser cortado, o atleta entra na lista até 1° de junho. Em caso de lesão, um jogador pode ser cortado e outro convocado até a véspera da estreia da seleção no Mundial, dia 15 de junho, contra a Coreia do Norte.

Convocados para a Copa

GOLEIROS: Julio César (Inter de Milão), Gomes (Tottenham), Doni (Roma)

LATERAIS: Maicon (Inter de Milão), Daniel Alves (Barcelona), Michel Bastos (Lyon), Gilberto (Cruzeiro)

ZAGUEIROS: Lúcio (Inter de Milão), Juan (Roma), Luisão (Benfica), Thiago Silva (Milan)

MEIO-CAMPISTAS: Felipe Melo (Juventus), Gilberto Silva (Panathinaikos), Ramires (Benfica), Elano (Galatasaray), Kaká (Real Madrid), Josué (Wolfsburg), Julio Baptista (Roma), Kleberson (Flamengo)

ATACANTES: Robinho (Santos), Luis Fabiano (Sevilla), Nilmar (Villarreal), Grafite (Wolfsburg)

Um comentário:

ysis disse...

Parabéns pela análise. Muito bem feita