terça-feira, 4 de maio de 2010

O inédito título do Murici

  O técnico Edson Ferreira disse após o jogo de sábado contra o ASA que estudou o time depois das finais da segunda fase para tentar neutralizar as principais peças do Alvinegro. Segundo o treinador, Vica modificava muito a estrutura do time de uma partida para outra e isso dificultava a marcação do adversário.
O Murici fez jogos de exceção na decisão e conquistou o título com inteira justiça. No primeiro tempo da partida de sábado, o time entrou retraído, mas equilibrou as forças e atacou o ASA com lucidez para mostrar ao rival que não estava morto. Na etapa final, levou uma grande pressão do Alvinegro, mas também armou contra-ataques fulminantes, matando o jogo com gols dos velozes Peixinho e Alexsandro. O time alviverde também conseguiu corrigir os defeitos no sistema defensivo e, contando também com a falta de pontaria do ataque adversário, venceu por 2 x 1 em pleno Estádio Coaracy da Matta Fonseca.
O Murici é mais um clube a entrar no hall dos campeões de Alagoas. Nesta década, já são três debutantes: o próprio Alviverde, o Coruripe e o Corinthians-AL. O domínio do interior também merece destaque. Em dez anos, foram sete títulos de ASA, Murici e Coruripe e apenas três da turma da capital, CRB, CSA e Corinthians-AL.

Maior pontuador - Se o Alagoano fosse disputado com a fórmula de pontos corridos, o Murici também conquistaria o título. No total, o time conquistou 49 pontos, contra apenas 44 do ASA. Os números mostram que a taça foi muito bem entregue.

Maldição da Série B - O CRB não conseguia se concentrar no Estadual quando disputava a Série B. A diretoria não sabia se investia no Alagoano ou se preparava o time para a Segundona e o time normalmente morria na praia. Nesta década, isso só não aconteceu em 2002. Seguindo os passos do Galo, o ASA perdeu o título estadual tendo uma folha muito superior a dos rivais. O time fez um campeonato marcado pelo equilíbrio, mas bobeou nos jogos decisivos e viu o Murici ficar com a taça em Arapiraca.

Artilheiro - O atacante Wellington, do CRB, ficou mesmo com a artilharia do Alagoano. Ele fez menos jogos do que Peixinho, vice-artilheiro, com 13 gols, e, mesmo assim, manteve a liderança da disputa. O Galo fez o segundo artilheiro consecutivo do Estadual, já que Calmon conquistou a honraria no ano passado. Negociado com empresários, Wellington já não faz parte do elenco alvirrubro.

Crédito da foto: Marco Antônio ( O JORNAL-AL)

Nenhum comentário: