segunda-feira, 28 de junho de 2010

Brasil enfrenta hoje um velho freguês

A seleção brasileira sabe que os erros cometidos na primeira fase vão ganhar grandes proporções a partir de hoje. Nas oitavas de final, a seleção duela com o Chile, a partir das 15h30, num jogo em que o perdedor vai arrumar as malas e voltar para casa.
Sexta-feira, contra Portugal, algumas dificuldades do elenco brasileiro foram realçadas. Julio Baptista, por exemplo, não cumpriu a missão de abastecer o ataque, que pouco trabalhou no jogo contra os portugueses. O lateral-esquerdo Michel Bastos também está sendo muito questionado pela imprensa e parte da torcida. Sem confiança, o jogador fica mais preso à marcação e não evolui ofensivamente. Burocrático, ele pouco participa da partida e, quando tem a bola, toca para o lado ou avança um pouco e chuta sem precisão.
Dunga também espera pelos médicos da seleção para definir os titulares. Elano não atuou na última sexta, mas tem boas chances de reaparecer entre os titulares. Felipe Melo também está machucado, com uma lesão no tornozelo, e é outra dúvida. Caso o primeiro não possa atuar, Ramires e Daniel Alves brigam pela vaga. Se Felipe não jogar, Josué é o substituto natural, mas também não está descartada a possibilidade de o treinador compor o meio-campo com Ramires, Gilberto Silva, Daniel Alves e Kaká, que volta ao time após cumprir suspensão.
A esperança dos jogadores brasileiros é de que o Chile seja mais ofensivo que os portugueses. Na coletiva de sexta, o técnico Dunga e os atletas reclamaram muito da postura defensiva de Portugal. O Brasil prefere ser atacado para buscar a vitória em estocadas rápidas. “Eles ficaram com quase todos, uns nove pelo menos, atrás da linha do meio de campo. O jogo foi duro, com muitas faltas também, truncado. Mesmo assim, tivemos duas ou três chances de fazer gols", destacou Dunga.
Com Kaká, o time também ganha poder criativo e variação de jogadas, um dos maiores problemas da seleção na última partida. O ataque também precisa evoluir. E, para aumentar esse poder de fogo, Dunga vai contar amanhã com o retorno de Robinho, poupado contra Portugal. Luís Fabiano, que se destacou contra Costa do Marfim e teve atuação apagada na sexta, espera ser mais municiado para dar trabalho ao goleiro adversário.

Freguês – O Chile é um velho freguês da seleção brasileira. Em 65 jogos ao longo da história, o Brasil venceu 47, empatou 12 e perdeu apenas sete. O time canarinho marcou 152 gols e sofreu 55, saldo de 97. Nas eliminatórias da Copa, as duas seleções se encontraram duas vezes, com duas vitórias brasileiras, 3 x 0, em 2008, e 4 x 2, no ano passado.

Quartas – Se passar pelo Chile, o Brasil vai enfrentar nas quartas de final a Holanda, que bateu hoje pela manhã a Eslováquia, por 2 x 1. Esse confronto das quartas está marcado para a próxima sexta-feira.

Brasil - Julio Cesar; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva, Felipe Melo (Josué), Elano (Daniel Alves) e Kaká; Robinho e Luís Fabiano. Técnico - Dunga.

Chile - Bravo; Isla, Contreras, Jara e Vidal; Millar, Carmona, Matias Fernández e Valdivia; Sánchez e Beausejour. Técnico: Marcelo Bielsa.

Árbitro - Howard Webb (Inglaterra).

Nenhum comentário: