terça-feira, 8 de junho de 2010

Brasil tem dificuldades na saída de bola

A seleção brasileira apresenta uma dificuldade na maioria dos coletivos: a saída de bola. É bom abordar essa questão dos treinos porque os reservas da seleção são melhores do que 60% dos times titulares da Copa. Comparar com Zimbábue e Tanzânia é até covardia. Pois bem, nos treinamentos, a transição entre o meio-campo e o ataque está sendo mal feita. Felipe Melo, por exemplo, tem dificuldades para acertar o passe e o time fica muito dependente de Kaká. Mais cedo ou mais tarde, o moderno volante Ramires deve ganhar uma vaga nessa equipe. Ontem, ele marcou dois gols e foi o grande destaque da vitória por 5 x 1 sobre a Tanzânia.

Falou e disse - A entrevista de Kaká na última sexta-feira merece destaque. O comedido camisa 10 da seleção perdeu a fleuma com uma pergunta atravessada de um repórter argentino e partiu para o ataque. Indagado sobre onde estava o futebol-arte do Brasil, ele disse que poderia estar em Rosário, quando a seleção fez 3 x 1 na Argentina e se classificou para o Mundial. “Para nós, foi um espetáculo!”, alfinetou o craque, no melhor estilo Romário.

Timidez - Grafite foi a grande surpresa da lista de Dunga. Se Adriano não cometesse tantas barbeiragens fora de campo, seria nome certo na convocação. O jogador do Wolfsburg disputou apenas alguns minutos do amistoso contra a Irlanda e tirou a sorte grande. O problema é que Grafite parece não estar enturmado no grupo. Ele anda tímido demais nos coletivos e isso anda preocupando a comissão técnica.

Primeiro dia - A Copa do Mundo será  aberta com duas partidas na próxima sexta-feira. Às 11h (de Brasília), a África do Sul duela com o México. Fechando o dia, às 15h30, Uruguai e França medem forças. Velha rival do Brasil, a Argentina estreia sábado, também às 11h, contra a Nigéria. De acordo com o regulamento, os dois primeiros colocados de cada chave passam de fase.

Nenhum comentário: