quarta-feira, 2 de junho de 2010

Breve análise do amistoso da seleção

A seleção brasileira não usou todo o seu repertório contra o Zimbábue, até porque o adversário tinha claras limitações, mas conseguiu vencer o amistoso de ontem por 3 x 0. O destaque foi a boa atuação do lateral-esquerdo Michel Bastos. Mais solto e confiante, ele fez, de falta, o primeiro gol. Robinho e Elano completaram o placar. A principal preocupação continua sendo a condição física e até técnica do meia Kaká. Ele ainda está sem ritmo e teve uma participação apenas discreta no amistoso. O atacante Luís Fabiano também está distante de sua condição ideal.

Defesa - O torcedor brasileiro vai ter que se acostumar com a nova condição do País no Mundial. Talvez pela primeira vez na história das Copas, o grande trunfo do Brasil é a solidez do seu sistema defensivo. As características do time de Dunga não são comuns ao nosso estilo de jogo, mas são eficientes. A Itália, por exemplo, conquistou o Mundial de 2006 utilizando muito seu poder de marcação

Bola - A bola da Copa do Mundo está tirando o sono dos goleiros. Ela realmente ganha muito efeito e tem um tempo diferente da tradicional. Robinho, inclusive, brincou que ele está chutando igual ao Roberto Carlos. Creio que os treinos com a pelota durante 15 dias vão minimizar o problema, mas não solucioná-lo. Muitos gols esquisitos vão sair nesse Mundial.

Coreia - A Coreia do Norte mostrou sua cara no amistoso de domingo contra o Paraguai – empate por 2 x 2. O time é forte fisicamente, tem um razoável toque de bola, mas ainda conserva uma certa ingenuidade. No dia 15 de junho, deve jogar bem fechadinho para tentar arrancar um empate na estreia no Mundial, contra o Brasil.

Nenhum comentário: