segunda-feira, 12 de julho de 2010

Enfim, Espanha conquista o título mundial

O título conquistado neste domingo pela Espanha com a vitória sobre a Holanda, por 1 x 0, gol de Iniesta, encerrou uma triste sina do futebol espanhol. Apesar de possuir duas das mais poderosas equipes do mundo - Barcelona e Real Madrid -, a sua seleção nunca esteve perto de repetir o desempenho desses times. Agora, porém, a Espanha pode dizer que possui uma seleção poderosa.
Nas 12 participações anteriores na Copa do Mundo, a seleção espanhola nunca havia disputado uma final, mesmo sendo apontada como favorita em algumas edições do torneio. Sua melhor campanha até então havia ocorrido em 1950, quando foi a quarta colocada. Mesmo assim, o desempenho esteve longe de ser brilhante.
A equipe se classificou para o quadrangular final, com Brasil, Uruguai e Suécia. Não conseguiu nenhuma vitória, terminou na última colocação da disputa e ainda retornou com uma histórica derrota por 6 a 1 para a seleção brasileira.
A Espanha também decepcionou em outros momentos. Em 1962, no Chile, chegou como favorita, com a presença dos naturalizados Di Stéfano e Puskas, mas terminou apenas na 12ª posição. Na Copa seguinte, na Inglaterra, em 1966, a equipe era uma das favoritas, amparada pelo título europeu de 1964, mas decepcionou e ficou em décimo lugar.
Anfitriã em 1982, a Espanha não soube aproveitar o fator casa para fazer uma boa campanha e ficou apenas na 12ª posição. No México, em 1986, novo fracasso, depois de muita expectativa. A seleção espanhola havia sido vice-campeã europeia em 1984 e chamou a atenção do mundo ao golear a Dinamarca por 5 a 1 nas oitavas de final. Na fase seguinte, porém, perdeu nos pênaltis para a Bélgica e terminou o torneio na sétima posição.
O surgimento de jogadores renomados como Hierro e Raúl aumentou o sonho espanhol de enfim conquistar um título nas últimas Copas do Mundo. Essa geração, porém, também não teve êxito. Em 1998, deu vexame ao ser eliminada na primeira fase. E, em 2002 parou nas quartas de final ao perder na disputa de pênaltis para a Coreia do Sul, depois de uma arbitragem polêmica.
Nesta Copa do Mundo, porém, tudo foi diferente. Com status de favorita por conta do título da Eurocopa em 2008, a equipe superou a desconfiança por conta da derrota na estreia para a Suíça, e, liderada por Xavi, Iniesta e David Villa, faturou um incontestável título mundial, esperado por muito tempo pelos torcedores espanhóis.

Nenhum comentário: