sexta-feira, 9 de julho de 2010

Os craques dos finalistas

Dois jogadores movem as finalistas da Copa. Na Espanha, não há bola que não carimbe os pés de Xavi. O meio-campista do Barcelona parece ser onipresente em campo. Ele pensa a jogada com alguns segundos de antecedência e, com toques precisos, inicia a execução. Na trajetória da pelota, ela costuma também passar por Iniesta e, quando resulta em gol, geralmente recebe o último toque do atacante David Villa.
Xavi atua nos guetos da partida. Seu nome não é gritado pelos narradores, até porque não balançou as redes uma vez sequer neste Mundial, mas sua participação no desenvolvimento da Fúria é fundamental.
Na Holanda, Sneijder é o criador dos planos mais ousados de gol. De sua mente saem as jogadas mais agudas da equipe, e seus principais atributos são os lançamentos, os cruzamentos e chutes de longa distância. Algumas vezes, o meia desaparece do jogo, como aconteceu no primeiro tempo do duelo com o Brasil, mas seu cérebro inquieto acompanha o movimento das jogadas. Num lance, seu talento pode decidir a parada.
Sneijder já marcou cinco gols no Mundial, e chamou a atenção da massa por ser mais agudo do que Xavi. Ambos têm participação decisiva nas trajetórias de seus times até a final, mas o holandês leva a vantagem de estar quase sempre no centro das comemorações. Na Espanha, esse espaço é preenchido por Villa.

Barça
- A Espanha começou a semifinal da Copa com sete jogadores do Barcelona. Puyol, Pique, Busquets, Xavi, Iniesta, Pedro e David Villa enfrentaram a Alemanha e fazem parte do elenco do atual campeão espanhol. Villa jogava no Valencia, mas já assinou contrato com o Barça. Com certeza, o clube espanhol, com Messi e Ibrahimovic, iria longe neste Mundial.

Invicta - A Holanda conquistou 14 vitórias seguidas juntando os jogos das eliminatórias e da Copa. A seleção também pode conquistar o título vencendo todas as partidas do Mundial. A Espanha foi derrotada na primeira rodada do torneio, por 1 x 0, pela Suíça.

Sem faltas - A Espanha cometeu a primeira falta no duelo com a Alemanha aos 26 minutos do primeiro tempo. Ao contrário da adversária da final, a Holanda usa muito a infração como recurso para impedir as jogadas.

Os campeões - Contando com o Mundial da África, 12 países já chegaram à final da Copa: Uruguai, Argentina, Itália, Tchecoslováquia, Hungria, Brasil, Alemanha, Suécia, Inglaterra, Holanda, França e Espanha. Desses, sete já foram campeões. O oitavo membro desse grupo seleto vai ser conhecido no próximo domingo.

Nenhum comentário: