sexta-feira, 2 de julho de 2010

Ronaldo aconselha Felipe Melo a não voltar ao Brasil

A eliminação do Brasil agitou as redes sociais. Durante todo o dia, tópicos relacionados à derrota por 2 x 1 para a Holanda faziam parte da lista de assuntos mais comentados do Twitter. O descontentamento era claro, com xingamentos contra Dunga e Felipe Melo, além dos lamentos pela presença de Mick Jagger no estádio Nelson Mandela Bay. O líder dos Rolling Stones, para a tristeza dos brasileiros, confirmou a fama de pé-frio adquirida na África do Sul. Torceu para três equipes - Inglaterra, Estados Unidos e Brasil - e todas foram eliminadas.
Jogadores também fizeram seus comentários. Ronaldo, não se sabe se como aviso ou ironia, escreveu: "Felipe Melo não deve passar as férias no Brasil...". Depois, consolou os colegas. "Os meninos lutaram, foram dignos e fortes. Infelizmente, perdemos todos. Força, rapaziada!" O zagueiro Edmilson, campeão em 2002, mostrou-se preocupado com as críticas direcionadas ao volante brasileiro, expulso na partida. "Ele não é o único culpado, como o Galvão (Bueno) está dizendo. O Galvão está matando o Felipe Melo". Rivaldo, que também venceu na Copa da Ásia, afirmou que o Brasil sentiu falta de Ronaldinho Gaúcho. "Ele poderia fazer a diferença".
Sebastião Lazaroni, que dirigiu a seleção na Copa de 1990 - a chamada "Era Dunga" -, não se conformou com a eliminação. "É difícil ver uma derrota como essa, apesar de saber que a Holanda é uma boa equipe". Técnico no Catar, Lazaroni afirmou que a seleção não se encontrou no segundo tempo. "E pagou um alto preço por isso".
Carlos Alberto Torres, capitão do tricampeonato na Copa de 1970, não tem dúvida: "O time começou bem, jogando um grande futebol, mas depois do gol se acomodou". Para o ex-jogador, a Holanda tomou o controle do jogo. "O grupo sofreu com o descontrole emocional".
Jair da Costa, campeão em 1962, compartilha a opinião. "O Brasil poderia ter matado o jogo no primeiro tempo. Depois do gol da Holanda e da expulsão do Felipe Melo se perdeu, não teve poder de reação", avaliou. "Futebol é assim. Quando não aproveita, toma gol e a coisa se complica. Ahh! se eu pudesse estar lá..."

NO EXTERIOR - O holandês Frank de Boer não perdeu a chance de comemorar a "revanche". "Foi muito bonito vencer. Mas foi ainda melhor vencer o Brasil", disse o ex-jogador, que na Copa de 1998 perdeu o último pênalti na semifinal contra a seleção e foi eliminado. Nesta sexta, ele estava no banco da equipe europeia - ele é assistente-técnico de Bert van Marwijk. "É uma revanche pessoal. É claro que dá um gostinho especial".
Em Paris, ídolos do futebol da França não esconderam a satisfação com a eliminação dos rivais, que consideravam um dos grandes favoritos ao título, ao lado da Argentina e da Espanha. Um dos mais eufóricos era o ex-atacante Emmanuel Petit - o mesmo que fechou o caixão da seleção brasileira de Zagallo, em 1998, ao marcar o terceiro gol dos "Azuis". Hoje comentarista de esportes da rede de TV pública France Télévision, Petit apareceu logo após o jogo vestindo um chapéu laranja. Vibrando com a vitória da Holanda, deixou escapar, ao vivo, sem saber que o microfone estava aberto: "Nós os fod...".

2 comentários:

Marcos Goulart disse...

Diante do futebol de outras seleções o Brasil era até melhor. Mais agora é levantar a cabeça e que os próximos jogadores convocados e o novo técnico aprendam com os erros passados.

Doris disse...

É bom que fique por lá mesmo. Vergonha estes jogadores brasileiros, gannhando o que ganham, pra ir pra uma copa e achar que está num campinho jogando pelada. Teve o que mereceu