quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Messi e a jogada de marketing

Melhor do mundo, Messi fracassou na Copa 2010
Os eleitores que compuseram o quadro que escolheu o melhor jogador do mundo adotaram uma postura inovadora em 2010. Se fossem mantidos os critérios dos anos anteriores, Iniesta ou Xavi seria eleito o craque do ano. Até esta escolha, nenhum jogador que não conquistou o Mundial recebeu a honraria numa temporada marcada pela Copa.
A eleição de Messi surpreendeu até o jogador argentino porque sua participação no Mundial da África foi um fiasco. Ele não marcou nenhum gol na competição e foi criticado recentemente até por Maradona, que sempre considerou o craque do Barcelona seu legítimo sucessor. Dom Diego declarou que ele fez a diferença na Copa de 86 e, no ano passado, quando Messi precisava mostrar seus super-poderes, se escondeu.
Essa é a explicação para a surpresa, mas isso não quer dizer que o futebol esteja mal representado com o bicampeonato do argentino no prêmio da Fifa. Com a camisa do Barça, ele é, sem dúvida, um virtuose. Um jogador capaz de desequilibrar fazendo gols improváveis ou distribuindo assistências perfeitas. Com um impressionante repertório de jogadas, Messi é um dos destaques do time mais vistoso do mundo. Talvez por isso, venceu Xavi e Iniesta, que conquistaram os mesmos títulos do argentino no Barcelona e, de quebra, foram os mentores da seleção espanhola no Mundial. Além de ser bom de bola, Messi leva vantagem sobre os companheiros num quesito fundamental no futebol atual: o marketing.

Nenhum comentário: