sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Os prejuízos da Copa

A Copa do Mundo da África custou cerca de 3 bilhões e 225 milhões de euros. O número é alto, mas, se pensarmos que a expectativa de gastos do Brasil em 2014 é de mais de 7 bilhões de euros, a despesa ficou até pequena.
Recentemente, o site português Futebol Finance publicou estudo sobre o retorno do valor investido na África. A maior fonte de renda, o turismo, deu um retorno de apenas 390 milhões de euros. De acordo com sondagem elaborada pelo National Department of Tourism (NDT) da África do Sul, 309 mil turistas visitaram o país durante o Mundial, gastando 1.300 euros em média por dia.
Apesar de os números terem sido comemorados pelos organizadores do evento, houve uma disparidade entre receitas e despesas. O déficit é considerado pela Fifa um investimento na divulgação das principais atrações do país. No Brasil, não tenho dúvidas de que esse "investimento" será bem maior. Aqui, infelizmente, o trato com a coisa pública é bem menos cuidadoso do que na África.

“Elefantes brancos” - Uma das principais preocupações em relação à construção de novos estádios ou reforma dos antigos é a criação de "elefantes brancos". Fico imaginando qual será a serventia, por exemplo, do suntuoso Estádio Vivaldão após o Mundial. Em Manaus, o pobre São Raimundo e o combalido Nacional não vão dar conta do monstro de cristal que está sendo erguido. Os dirigentes do futebol amazonense vão precisar usar a criatividade com gosto para tornar viável a nova praça esportiva.

Furadeiras - Numa auditoria feita após o Pan-Americano do Rio, foi descoberto que superfaturaram até as furadeiras. Elas custavam R$ 16 mil. No final das contas, ninguém respondeu pelo acinte. Por essas e por outras, o papel da imprensa na fiscalização da Copa e das Olimpíadas vai ser fundamental.

2 comentários:

Notícia em Verso disse...

Mais uma copa no Brasil, a de 2014, é o que todo mundo queria
Um possível desperdício do dinheiro público é o que se previa
O Panamericano de 2007 foi o primeiro teste, treino para avaliar
A (in)competência dos nossos gestores, quanto se vai gastar

Em se tratando de estádios, ainda há muito o que fazer
Mas o aumento dos orçamentos já dá para perceber
Não só pelo tempo que encurta, enquanto o custo estica
Também tem avaliação amadora que nem tudo identifica

É o que se nota, em relação ao Maracanã, o principal
Ninguém viu que a cobertura estava podre, muito mal?
O que ia ser suporte da ampliação, agora vai ao chão
E o valor da obra vai se aproximar de um bilhão

É de se questionar se reconstruir é melhor do que reformar
Wembley, estádio inglês, é exemplo a se observar
Mesmo sendo patrimônio histórico, bom senso a utilizar
Resultado: espetáculo e conforto, agora em outro patamar

Entre as 12 sedes, modernização sai mais caro que a construção
É assim no Mané, no Maraca, no Beira-Rio e no Castelão
O estádio do Rio custar duas Fonte Nova faz sentido?
Não! Somos nós que vamos pagar, tá esquecido?

(noticiaemverso.blogspot.com)

Anônimo disse...

Visão exurbitante neste blogue, postagens deste modo emotivam a quem quer que ler aqui .....
Entrega muito mais de este blogue, aos teus utilizadores.