domingo, 20 de fevereiro de 2011

Rodada do Alagoano foi boa para os líderes e para o CSA

CSA venceu o Ipanema por 5 x 3 e colocou o CRB na zona da degola
Uma casta se destaca no Campeonato Alagoano. Depois de dez rodadas, Corinthians-AL, Murici e Coruripe dominam amplamente a competição. O ASA é quarto colocado, mas perdeu terreno em relação aos dois primeiros com as duas derrotas sofridas contra o Coruripe.
Hoje, mesmo jogando em Arapiraca, o Hulk bateu o Alvinegro por 1 x 0 e chegou aos 21 pontos. Com 22, o Corinthians segue na ponta do Estadual. Ontem, o Timão venceu o CSE por 2 x 1, em Palmeira, e manteve o ótimo retrospecto. Com a mesma pontuação do líder, mas com um saldo de gols inferior, o Murici continua em segundo lugar após a vitória de ontem por 3 x 2 sobre o CRB, em Murici.

Recuperação – O CSA saiu da zona do rebaixamento ao vencer o duelo de hoje com o Ipanema, no Rei Pelé, por 5 x 3. Com o resultado, o Azulão ultrapassou o CRB e o próprio Ipanema e assumiu a sétima posição, com nove pontos.

Desespero – Quem entrou na zona da degola foi o CRB. Sem vencer há oito partidas, o Galo viu neste domingo o Santa Rita golear o Sport Atalaia por 3 x 0 e o Azulão bater o Ipanema por 5 x 3. Com oito pontos, o time regatiano caiu para a penúltima colocação, dois pontos à frente do lanterna Ipanema.

Ameaça – Em campo, o CRB é o time de pior campanha no Estadual, já que o Ipanema perdeu três pontos no Tribunal de Justiça Desportiva de Alagoas por ter, supostamente, escalado jogadores irregularmente na primeira rodada. O problema do Galo é que os advogados do clube do Sertão recorreram da decisão e estão otimistas quanto à recuperação dos pontos. Se eles lograrem êxito, o CRB cairá para a última colocação.

Classificação do Alagoano 2011

Pos.TimePGJVDEGPGCSG
1Corinthians221072120911
2Murici22107211477
3Coruripe211073018117
4ASA18106401697
5CSE14104421416-2
6Sport13104511521-6
7CSA9103701319-6
8Santa Rita9102531719-2
9CRB8102621318-5
10Ipanema6103701122-11

*O Ipanema perdeu três pontos no TJD-AL

Avaliação - CSA e CRB enfrentam o tempo

Com duas derrotas para o Murici, CRB é o penúltimo do Campeonato Alagoano
CRB e CSA acumulam o peso de suas camisas. A pressão por títulos fez muitos dirigentes comprometerem o futuro dos maiores campeões do Estado e hoje eles são cobrados por isso. Não é fácil administrar os graves problemas financeiros da dupla. Com dívidas pesadas para o seu poder econômico, eles não conseguem acompanhar os clubes mais organizados do interior, que não têm o ônus de desmandos para enfrentar.
Um exemplo é o Murici, que não têm a força das camisas e das torcidas do Galo e do Azulão, mas pode planejar seu futuro com mais tranqüilidade.
A diretoria do atual campeão alagoano garante que a folha salarial até o fim do Campeonato Estadual está garantida pelos dez patrocinadores e que a renda do jogo com o Flamengo vai para a poupança do Centro de Treinamento.
CSA assumiu a sétima colocação no Estadual 2011
CSA e CRB jamais poderiam executar um projeto parecido. Se os credores descobrirem que qualquer um deles vai receber recursos mais polpudos, acionam seus agentes de cobrança. Por isso, os dirigentes fogem do assunto quando a imprensa tenta descobrir quanto azulinos e regatianos arrecadam num jogo ou na temporada.
Ao contrário dos grandes clubes nacionais, o Galo e o Azulão não contam com parceiros que abracem seus departamentos de futebol e explorem a força de suas torcidas. Esse apoio externo proporcionou a Flamengo e Fluminense, apesar de suas dívidas assustadores, conquistarem os brasileiros de 2009 e 2010.
A dupla alagoana trabalha de forma quase amadora no futebol profissional. A estrutura de suas diretorias é arcaica e soluções discutidas à exaustão por seus dirigentes são apenas paliativas. Uma das esperanças de mudança do quadro, a Timemania não deu o retorno esperado e os grandes de Maceió vivem, em pleno século XXI, das migalhas de seus conselheiros. Para piorar o quadro, a pressão exercida por seus torcedores gera atitudes precipitadas tanto na Pajuçara quanto no Mutange. Em meio ao caos, eles montam equipes heterogêneas e acabam aumentando os números de suas dívidas. Não é fácil recuperar os dias de glória com o peso e as armadilhas deixadas pelo tempo.

Crédito das fotos: Ailton Cruz

Nenhum comentário: