sábado, 26 de março de 2011

Especial - Mundial de F-1 começa neste domingo

Felipe Massa tenta supreender no Mundial
A semana está sendo movimentada na Austrália. Com alguns dias de atraso, o Mundial de Fórmula 1 inicia a sua 62ª temporada neste domingo, às 3h da madrugada, no Circuito de Melbourne. Ansiosos, pilotos e torcedores concentram agora suas atenções nas máquinas maravilhosas, multiplicadas em 2011 por 12 equipes. Neste ano, apenas dois brasileiros vão fazer parte da disputa. Felipe Massa, de 29 anos, segue sua trajetória na Ferrari, e Rubens Barrichello, aos 38, tenta surpreender na Williams.
Os pneus são atrações à parte na temporada. A Bridgestone foi trocada pela Pirelli e a durabilidade do produto diminuiu. Na prática, essa simples mudança deve revolucionar as provas, acrescentando-lhes camadas espessas de imprevisibilidade. Daqui para frente, a expectativa é de que as equipes trabalhem dobrado nas corridas. Os tradicionais dois pit-stops devem chegar a quatro. “Aprovo a maior quantidade de pits. Ano passado, uma única parada tornou as corridas menos emocionantes e o fim do reabastecimento também tirou emoção”, analisou o inglês Lewis Hamilton, da McLaren.
Também haverá uma grande mudança de rendimento entre os carros com pneus novos e desgastados. Assim, as ultrapassagens devem se multiplicar. Pelo menos, é isso o que a Federação Internacional de Automobilismo espera. Seu chefão, Bernie Ecclestone, chegou a dizer que pensou em molhar a pista durante algumas corridas para aumentar a emoção, mas, metralhado por críticas, deixou a ideia na gaveta.
Perguntado se o problema dos pneus vai mexer com a lógica das corridas, o espanhol Fernando Alonso adotou um discurso conservador. Para ele, a força dos carros e a capacidade dos pilotos vão continuar fazendo a diferença.
“Como sempre na Fórmula 1, o melhor carro, o mais rápido, irá vencer o campeonato no fim. Estratégia é importante, talvez uma ou duas corridas serão decididas por ela. Alguém muito rápido também pode tropeçar nela e perder a vitória. Mas você pode errar uma vez em 19 corridas ou ter uma boa estratégia uma vez, mas não em todas. Então, no fim, a coisa mais importante é ter o carro mais rápido e estamos trabalhando para isso”, garantiu Alonso.

Nenhum comentário: