domingo, 17 de abril de 2011

Hamilton vence e prova que Vettel pode ser batido

Na China, Lewis Hamilton acabou com a egemonia da Red Bull
A corrida de Xangai foi espetacular. O arrojo e a eficiência da estratégia do inglês Lewis Hamilton (McLaren) foram determinantes hoje para a sua vitória no GP da China. Largando bem e apostando em três trocas de pneus, ele acabou com a hegemonia do alemão Sebatian Vettel (Red Bull), que vinha numa sequência de quatro vitórias na Fórmula 1.
Com 68 pontos, Vettel continua na liderança do Mundial, mas Hamilton assumiu a segunda colocação, com 47 pontos. Além do inglês da McLaren, o destaque da prova foi o australiano Mark Webber (Red Bull), que largou em 18º lugar e terminou em terceiro.

Massa - Pela segunda vez consecutiva na temporada, o brasileiro Felipe Massa (Ferrari) terminou na frente do espanhol Fernando Alonso. Massa fez uma boa corrida, mas sofreu com os pneus e a estratégia de parar nos pits apenas duas vezes. Por isso, fechou a corrida em sexto lugar. Alonso foi muito mais discreto que o brasileiro e completou a prova em sétimo.

Próximo GP – A Fórmula 1 faz uma pequena pausa e volta a armar seu circo no dia 8 de maio com a abertura de sua temporada europeia. A próxima corrida vai ser disputada na Turquia, às 9h (de Brasília), e, até lá, a Ferrari já espera diminuir a diferença para Red Bull e McLaren.
Avaliação – O Grande Prêmio da China deixou claro que Vettel não é imbatível. A McLaren pode enfrentar a Red Bull nas corridas, mas precisa ainda diminuir a diferença nos treinos de classificação. Pressionado, o líder do Mundial comete erros e se torna vulnerável. A Mercedes também demonstrou força na China, levando o impetuoso alemão Nico Rosberg ao quarto posto. A grande decepção foi a Williams. Barrichello terminou em 13º lugar e terá muito trabalho para tirar seu carro do pelotão de trás do Mundial. Hoje, garanto aos leitores que assisti a melhor corrida dos últimos anos na F-1. Principalmente por causa do desgaste dos pneus, tivemos pegas emocionantes e muitas ultrapassagens. Na China, a categoria resgatou a essência perdida no início da década de 90.
   
Confira o resultado final do GP da China:

1 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - 56 voltas em 1h36m58s226
2 - Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - a 5s198
3 - Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - a 7s555
4 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - a 10s000
5 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 13s448
6 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 15s840
7 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 30s622
8 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 31s206
9 - Vitaly Petrov (RUS/Renault-Lotus) - a 57s404
10 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - a 1m03s273
11 - Paul di Resta (ITA/Force India-Mercedes) - a 1m08s757
12 - Nick Heidfeld (ALE/Renault-Lotus) - a 1m12s739
13 - Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - a 1m30s189
14 - Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - a 1m30s671
15 - Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - a 1 volta
16 - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) - a 1 volta
17 - Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari) - a 1 volta
18 - Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) - a 1 volta
19 - Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault) - a 1 volta
20 - Jerome D'Ambrosio (BEL/MVR-Cosworth) - a 2 voltas
21 - Timo Glock (ALE/MVR-Cosworth) - a 2 voltas
22 - Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth) - a 2 voltas
23 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) - a 2 voltas

Não completou:

Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari) - a 47 voltas/roda

Melhor volta: Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - 1m38s993, na 42ª

Nenhum comentário: