sábado, 2 de abril de 2011

Poder do boi vai ser testado no clássico Sport x Santa

Pai Carlos cobre o boi com a bandeira do Sport Recife
O torcedor de Pernambuco é criativo pela própria natureza. A disputa entre os grandes de Recife se renova a partir de brincadeiras saudáveis, que mexem com a massa e ganha projeção nos estádios. O Sport estava vivendo seu inferno astral, longe do G4, até que o presidente Gustavo Dubeux resolveu pagar uma antiga dívida com um pai de santo do Recife. O clube devia um boi ao Pai Carlos e, segundo ele, a crise depois da conquista da Copa do Brasil, em 2008, foi gerada pelo descumprimento da promessa. Depois de quitado o débito, o Leão se recuperou a olhos vistos no Estadual e já entrou no G-4 do Pernambucano. Os jogadores do Rubro-Negro não querem saber da história do boi e avisam que as vitórias contra Central e Cabense foram conquistadas com o suor do trabalho.
“Trabalhamos demais por aqui, com muito sol quente na cabeça. É dessa forma que a gente vai conseguir o nosso objetivo. Vamos deixar esse negócio de boi de lado e pensar em fazer nossa parte dentro de campo. Quem sabe a gente possa conseguir nosso objetivo maior, que é se classificar e conseguir o título”, disse o lateral Wellington Saci, que, apesar do apelido, não é chegado a assuntos do além.
Amanhã, o Sport vai testar esse vigor no clássico contra o Santa Cruz, às 16h, na Ilha do Retiro. O Tricolor vem embalado pela vitória na Copa do Brasil sobre o São Paulo, quarta-feira, por 1 x 0, e a massa garante que a Cobra Coral vai picar o boi e o Leão.
Com 34 pontos, o Sport trava um duelo particular com o Central, que enfrenta hoje o Náutico, por uma vaga nas semifinais, já que, de acordo com o regulamento, apenas os quatro primeiros passam de fase. Por isso, faltando três rodadas para o fim da fase de classificação, o Rubro-Negro não pode mais tropeçar.

Nenhum comentário: