quarta-feira, 27 de abril de 2011

Real e Barcelona fazem hoje história na Liga

Real 63: Vicente, Isidro, Santamaría, Casado, Muller, Pachín e Araquistáin.
Sentados: Amancio, Félix Ruiz, Di Stéfano, Puskas e Gento
O futebol reserva para hoje, às 15h45, um jogo especial. Em Madri, Real e Barcelona travam um duelo há muito esperado pela Liga dos Campeões. Dois dos clubes mais ricos do mundo fazem um clássico realçado por estrelas e rivalidade. A disputa entre eles ultrapassa as linhas do esporte e atinge a política. O Real é o representante da capital espanhola, da corte e do status quo. O Barça tem na camisa as cores da revolução; um defensor inconteste das ideias libertárias da Catalunha.
Talvez por ser mais fiel ao poder, o time de Madri montou esquadrões mais vitoriosos que os do maior rival. Os merengues conquistaram a Liga, maior honraria do futebol interclubes, nove vezes. O Barcelona construiu sua fortaleza com mais intensidade nas últimas décadas e levantou três dessas taças.
“El Clásico”, como o confronto é conhecido na Espanha, foi disputado na Liga seis vezes. O Real leva uma boa vantagem, com três vitórias e dois empates. O Barça bateu o maior rival na competição apenas uma vez.
Ronaldo Fenômeno marcou época no Barcelona na década de 90
Os números gerais da partida são favoráveis ao Barcelona. Em 241 jogos disputados, o time catalão venceu 100 vezes, empatou 52 e perdeu 89. O maior artilheiro do embate é o argentino Di Stéfano, que chegou a acertar com o Barça, desistiu do contrato e foi defender as cores do Real. Para completar, ainda marcou 18 gols no adversário histórico. Não preciso nem dizer que ele é “persona non grata” em qualquer lugar que ostente uma bandeira catalã.
 
O estrategista - Neste ano, considero Real e Barça os times de futebol mais vistosos do mundo. O time merengue ganhou equilíbrio tático e consistência com a chegada do técnico português José Mourinho. Atual campeão da Liga com a Inter, ele acertou o time de trás para frente e, depois de sofrer uma goleada por 5 x 0 do Barça no primeiro clássico da temporada, fez a equipe evoluir e, depois de empatar por 1 x 1 no Espanhol, conquistou a Copa do Rei em cima do rival, com um gol marcado na prorrogação por Cristiano Ronaldo.

Veneno português - José Mourinho montou uma armadilha para o Barcelona na semifinal do ano passado, quando comandava a Inter de Milão. Ele anulou as principais peças do time catalão e matou a disputa nos contra-ataques. Pep Guardiola provou do veneno do técnico português e tenta preparar um antídoto para o clássico de hoje. Provavelmente, o Barcelona vai manter suas características ofensivas, e o Real vai, primeiro, pensar em fechar os espaços para depois golpear.

Globo mostra -A TV Globo estava perdendo para a Band nas últimas temporadas da Liga dos Campeões e, com um excelente produto em mãos, decidiu transmitir o clássico e espalhar seus repórteres pela Espanha para promovê-lo. Garanto que essa atração é bem mais interessante do que os enlatados da Sessão da Tarde. Pode preparar a pipoca e escolher um time para torcer. Ninguém pode ser indiferente a um mágico Real x Barcelona. Quem diz? O óbvio ululante.
O alagoano Pepe é um dos destaques defensivos do Real

Alagoano - Pepe é titular absoluto do Real. O zagueiro/volante tem um futebol vigoroso e costuma atiçar a rivalidade nos clássicos. Pelo espanhol, ele deu entradas duras nos jogadores do Barça e incendiou o duelo. Homem de confiança de José Mourinho, arrumou um lugar cativo entre os titulares.

Marcelo e Kaká - Além de Pepe, o Real conta com mais dois brasileiros no elenco. O lateral-esquerdo Marcelo, ex-Fluminense, vive a melhor fase. Válvula de escape da equipe, ele cavou o pênalti que resultou no empate no clássico pelo espanhol. O outro brazuca é o meia Kaká, revelado pelo São Paulo. O jogador se recupera de uma série de lesões e animou a torcida no último sábado, quando marcou duas vezes na goleada do Real sobre o Valencia, por 6 x 2.

Daniel Alves e mais três - O Barcelona investiu muito em suas divisões de base nos últimos anos e deixou de ser uma casa de brasileiros. O time que apresentou o Fenômeno Ronaldo para o mundo e viu Ronaldinho Gaúcho assombrar plateias conta hoje no seu time titular apenas com o lateral-direito Daniel Alves, ex-Bahia. O jogador da seleção é fundamental para o esquema do técnico Pep Guardiola e é um dos líderes de assistências na equipe catalã.
Outros brazucas que compõem o elenco são os laterais-esquerdos Maxwell, revelado pelo Ajax, e Adriano, cria do Coritiba, além do volante ítalo-brasileiro Thiago Alcântara, filho do ex-jogador Mazinho.

Messi marcou 50 gols em 49 partidas disputadas nesta temporada
 O monstro - Lionel Messi é, sem dúvida, o melhor jogador em atividade no atual futebol mundial. Eu mesmo já contestei suas atuações na seleção argentina, mas ninguém marca 50 gols em 49 partidas numa temporada europeia sem fazer estragos nos adversários. Habilidoso, rápido e objetivo, o baixinho argentino precisa apenas conquistar uma Copa para poder, sim, ser comparado a Maradona. Para completar sua apresentação, vale destacar que ele é bicampeão da Bola de Ouro da Fifa e tem apenas 23 anos.

O goleador - Messi foi o goleador das últimas duas edições da Liga dos Campeões e agora também lidera a tábua de artilheiros, com nove gols em dez partidas. Autor de 23 assistências na temporada, três delas foram em jogos da Liga.

REAL MADRID: Casillas, Sergio Ramos, Albiol, Ricardo Carvalho e Marcelo; Lass Diarra, Pepe e Xabi Alonso; Di María, Cristiano Ronaldo e Özil. Técnico: José Mourinho.

BARCELONA: Valdés, Daniel Alves, Puyol, Piqué e Keita; Xavi, Busquets e Thiago Alcântara; Pedro, Messi e Villa. Técnico: Pep Guardiola.

Árbitro: Wolfgang Stark (ALE)

Nenhum comentário: