domingo, 24 de abril de 2011

Rio transpira o Fla-Flu decisivo

Leonardo Moura e Conca se reencontram no Fla-Flu
Flamengo e Fluminense travam hoje, às 16h, um duelo esperado desde a conquista do título brasileiro pelo Tricolor. Os dois últimos campeões nacionais costumam seguir caminhos parecidos. Para eles, não há meias-medidas: ou vivem uma catarse ou estão de mãos dadas com a crise. Dessa forma, furaram a armada paulista e retomaram a hegemonia carioca no Campeonato Brasileiro.
Rubro-negros e tricolores viveram situações inversas nas últimas duas temporadas. Em 2009, enquanto o Flu desafiava a lógica para permanecer na elite, o seu velho rival iniciava uma arrancada fulminante rumo ao título. No ano seguinte, após enfrentar graves problemas administrativos, o Fla sofreu no Brasileirão e correu sérios riscos de rebaixamento. Enquanto isso, o Fluminense derrubava os favoritos Corinthians e Cruzeiro e comemorava seu terceiro título nacional.
Antes de o Tricolor renascer triunfal na Libertadores, o início de temporada era mais favorável ao lado rubro-negro da força. Com Ronaldinho e Thiago Neves na equipe, o Fla ganhou projeção de mídia e muitas partidas. Com a conquista da Taça Guanabara, já está garantido nas finais do Carioca e tem a banca de ainda não ter perdido neste ano. Se bater os rivais nessa Taça Rio, fecha a conta e leva para a Gávea a 32ª taça de sua história. Nesse aspecto, o clássico desta tarde também ganha em importância. Com 30 títulos estaduais, o Fluminense tem o objetivo fixo de igualar a marca do Flamengo. Por isso, a partida única que vai definir o finalista da Taça Rio deve levar um grande público ao Engenhão, despertar o interesse das torcidas em todo o País e realçar a magia de um dos mais autênticos espetáculos proporcionados pelo futebol.

Histórias e estatísticas do clássico

Ronaldinho Gaúcho vai ter que mostrar serviço no clássico


O primeiro clássico entre Flamengo e Fluminense foi disputado no dia 7 de julho de 1912. Nove jogadores titulares do Tricolor que conquistaram o Carioca de 1911 deixaram as Laranjeiras para abrirem o departamento de futebol do Rubro-Negro e o primeiro confronto já estava tomado pela rivalidade. O Fluminense venceu por 3 x 2 e as potencialidades do clássico foram liberadas.
 O Fla-Flu virou uma lenda do futebol a partir das crônicas dos jornalistas e irmãos Mário Filho e Nelson Rodrigues. O Rubro-Negro e o Tricolor criaram o universo mítico do jogo e o transformaram em arte, com prosa, poesia e personagens complexos. Numa de suas célebres frases sobre futebol, Nelson resumiu assim a importância do clássico: “Tudo é Fla-Flu, o resto é paisagem”.

Números – O Fla-Flu já teve 380 edições, com o Rubro-Negro vencendo 134 vezes e Tricolor ganhando 121 clássicos. Ainda foram registrados 125 empates no duelo. O Fla marcou 568 gols e o Flu 515.
O último jogo entre eles foi disputado no dia 13 de março, pela fase de classificação da Taça Rio e terminou empatado por 0 x 0. Hoje, se não houver um vencedor no tempo normal, o finalista vai ser conhecido na decisão por pênaltis. Por isso, os cardíacos precisam consultar seus médicos antes de acompanhar o embate.

Da euforia ao caos 

Artilheiro Fred marcou três gols decisivos nos últimos dois jogos do Flu

Os dois clubes vivem momentos distintos. O Fluminense conquistou uma classificação épica, quarta-feira, na Taça Libertadores. Com uma vitória por 4 x 2 sobre o Argentinos Juniors em Buenos Aires, o Tricolor contrariou, mais uma vez, os matemáticos e segue vivo na luta pelo maior título de sua história.
Também na quarta, o Flamengo jogou muito mal no Engenhão contra o humilde Horizonte-CE e ficou num empate por 1 x 1, pela Copa do Brasil. O time e o técnico Vanderlei Luxemburgo foram muito cobrados pela torcida e o clima na Gávea não é dos melhores. Apenas a classificação para a decisão da Taça Rio vai dar mais tranqüilidade ao treinador para fazer os ajustes necessários no elenco.

Emerson – Com passado rubro-negro, o atacante Emerson foi o antagonista da última semana no Fluminense. O jogador se indispôs com o presidente do Tricolor, Peter Siemsen, e foi afastado do elenco momentos antes de o jogo com o Argentinos começar.
Jornalistas que cobriam o Flu em Buenos Aires informaram que o jogador vinha cometendo pequenos atos de indisciplina desde a saída do técnico Muricy Ramalho e que a gota d´água foi ele ter cantando o “Bonde do Mengão Sem Freio” no ônibus tricolor. O Sheik foi separado do grupo até amanhã, quando a direção vai decidir qual será o seu futuro. Dificilmente, o autor do gol do título brasileiro do ano passado vai continuar nas Laranjeiras.

Treinador do Flu está dividido

 O técnico do Flu, Enderson Moreira, se divide agora entre dois amores: a Libertadores e o Campeonato Carioca. O Fluminense tem um compromisso marcado com o Libertad, do Paraguai, para quinta-feira, no Rio, e não está tão focado no clássico quanto o seu maior rival.
Em campo, Enderson deve confirmar o Tricolor com a mesma formação que venceu o Argentinos. Berna vai ser o goleiro, com a defesa sendo formada por Mariano, Gum, Edinho e Julio César.
Os volantes escolhidos são Valência e Diguinho, com Marquinho fazendo a transição entre o meio e o ataque. Conca é o responsável pela criação das jogadas e, na frente, o treinador deve continuar apostando nas torres gêmeas: Fred e Rafael Moura.
 
Maldonado não vai jogar


O técnico Vanderlei Luxemburgo não deve definir o time do Flamengo com a mesma facilidade com que Enderson Moreira vai escalar o Fluminense. O time rubro-negro vem de dois empates contra times pequenos, o Horizonte e o Macaé, e precisa de uma sacudida para reagir no Fla-Flu. O volante Maldonado se machucou na partida de quarta-feira e deve ser substituído por Fernando. Rodrigo Alvim deve entrar no lugar de Negueba e trocar de posição com Renato, que deixa a lateral e vai para o meio. Dessa forma, o Fla ganha poder de marcação..
O goleiro deve ser Felipe, com a zaga sendo formada por Welliton e David. Nas laterais, Luxemburgo dá liberdade para Leonardo Moura e Alvim encostarem nos homens de frente. Fernando pode formar a dupla de cabeças-de-área com Williams. Na armação, Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho são os responsáveis pelas jogadas mais agudas da equipe e, no ataque, Luxemburgo deve apostar em Wanderley.


FLUMINENSE: Berna; Mariano, Gum, Edinho e Julio Cesar; Valencia, Diguinho, Marquinho e Conca; Fred e Rafael Moura. Técnico: Enderson Moreira.

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, Welinton, David e Rodrigo Alvim; Fernando, Willians, Renato, Thiago Neves e Ronaldinho; Wanderley. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Nenhum comentário: