segunda-feira, 4 de julho de 2011

Neymar e o desafio do futebol

Neymar não fez uma boa apresentação contra a Venezuela
Neymar está na ordem do dia. Destaque do Santos na conquista da Libertadores, o atacante ganhou status internacional e chegou à Copa América badalado. Nesse momento, as comparações são normais. Elas despertam o interesse do torcedor e aguçam a imaginação da imprensa.
Por enquanto, não é possível projetar a carreira do garoto. Obviamente, ele é um virtuose. Ninguém chega ao patamar atingido pelo atacante sem ter sido chamado de craque. Daqui em diante, o jogador precisa saber administrar a carreira e amadurecer rapidamente para suportar a pressão.
Com 19 anos, o atacante é a referência ofensiva da seleção. Num período de escassez de talentos no futebol nacional, ele e Paulo Henrique Ganso vão ser cobrados. Mas o esquema com três atacantes talvez não seja ideal para Neymar. Ele não está acostumado a voltar para fechar espaços no meio-campo. No Santos, nove jogadores se matam para darem total liberdade para os diferenciados. Se Mano Menezes espera que ele ou até mesmo Robinho faça as vezes de Jorge Henrique do Corinthians de 2009, está enganado. Por isso, não creio no sucesso do esquema 4-3-3 diante de grandes adversários. A tendência natural é Robinho ser sacado para a entrada de Elano.
Além da pressão normal de ser a referência ofensiva da seleção, Neymar precisa conviver com o constante assédio dos empresários. Propostas mirabolantes aparecem de todas as partes do mundo e, pelas últimas notícias que chegam da Argentina, seu destino pode ser o Real Madrid.
Ontem, ele pouco fez no empate por 0 x 0 com a Venezuela na Copa América. Açodados, muitos torcedores já dizem que o camisa 11 é uma farsa. Só o tempo vai ditar o ritmo do jogador e de sua carreira. Aviso apenas aos leitores que a precipitação é uma das mais ardilosas inimigas do esporte.

Números expressivos - Os números de Neymar na Libertadores o credenciam. Em 13 jogos disputados, ele marcou seis gols e ainda deu três assistências. O atacante finalizou 37 vezes, driblou 113 adversários, executou 30 cruzamentos e fez quatro lançamentos. O jogador perdeu 140 bolas e ficou com a pelota nos pés durante 25 minutos. Ele ainda recebeu 58 faltas e cometeu 19. Levou seis cartões amarelos e foi expulso de campo uma vez.

Carreira -
Neymar da Silva Santos Júnior estreou no time profissional do Santos em 2009. Ao todo, ele disputou 139 jogos e marcou 67 gols. Estreou na seleção principal no ano passado, disputou seis partidas e já balançou a rede três vezes.

Conquistas - O atacante do Santos já conquistou os títulos paulista, da Copa do Brasil e da Libertadores em menos de três anos de carreira. Pela seleção sub-20, arrebatou o título sul-americano no início desta temporada. Neymar ainda foi o artilheiro da Copa do Brasil do ano passado, com 11 gols, e do Sul-Americano Sub-20, com nove.

Onze - Neymar usa o número da sorte de um dos melhores atacantes da história da seleção. O 11 do garoto da Vila ganha realce agora numa camisa amarela que já foi imortalizada por Romário.

Perfil -Neymar nasceu em Mogi das Cruzes-SP, em 1992, tem 1,72m e 64 kg. O jogador do Peixe tem habilidade com as duas pernas, mas seu chute mais forte é com a direita. 

Nenhum comentário: