segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Aprovados e reprovados por Mano Menezes

O técnico Mano Menezes fez o que dele se esperava na convocação para o jogo do próximo dia 10, contra a Alemanha. A base montada para a Copa América foi mantida, e alguns novos testes vão ser feitos. Considero que não eram necessários muitos retoques no elenco que disputou a competição continental. Os jogadores convocados formam mesmo a elite do futebol nacional. O problema é a forma como o time joga e a falta de amadurecimento das nossas maiores promessas.
Mano teve o azar de não contar com jogadores que poderiam diminuir os efeitos da transição. Se Ronaldinho Gaúcho, Luís Fabiano e Kaká estivessem em boa forma, a pressão sobre Ganso, Neymar e Pato seria bem menor. Aos poucos, o trio da nova geração iria ganhar corpo no escrete e, até 2014, estaria pronto para o combate. Infelizmente, esses jogadores tiveram que queimar etapas e não têm o suporte da experiência no setor de criação. Assim, a responsabilidade de Ganso, por exemplo, dobrou. Para dificultar sua tarefa, ele ainda está recuperando seu ritmo de jogo depois de sofrer duas sérias lesões.
Entre as apostas feitas pelo treinador para o próximo amistoso, destaco a convocação do meio-campista Luiz Gustavo. Ele se destacou no Hoffehein, foi contratado pelo Bayern de Munique e vem sendo muito elogiado pela imprensa alemã. O ex-jogador do Corinthians-AL e CRB atua como volante e se destaca também pela polivalência. Com 1,87 m, Luiz é forte no jogo aéreo e pode ser uma peça importante no trabalho de renovação da seleção brasileira. Torçamos para que o jogador corresponda às expectativas.

Subindo - O goleiro Julio Cesar, que, mesmo com as falhas cometidas na Copa América, está prestigiado pelo técnico Mano Menezes. O goleiro da Inter de Milão aparece na convocação ao lado de Victor, do Grêmio.

Descendo -O meia Jádson, que chegou a conquistar a condição de titular na partida contra o Equador, marcou um gol, mas perdeu espaço no grupo e não foi convocado para o amistoso contra a Alemanha.

Elano - Quem perdeu força na seleção brasileira foi meio-campista Elano. Um dos destaques da seleção brasileira nos tempos de Dunga, o jogador do Santos não ficou satisfeito com a reserva na Copa América e parecia disperso em campo quando era aproveitado.

Nenhum comentário: