quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Mano precisa mudar conceitos

Schweinsteiger marcou o primeiro gol da Alemanha no jogo contra a seleção
A seleção brasileira perdeu mais um clássico. Com um esquema que ainda não encaixou, o time teve menos posse de bola que a Alemanha e, principalmente no segundo tempo, foi facilmente envolvido pela velocidade e precisão do adversário.
Mano designou Fernandinho para substituir Ganso, que está claramente fora de forma, mas o resultado não foi bom. O jogador teve uma apresentação discreta e, com ele, o ataque foi pouco acionado.
Muito exposta, a seleção também facilitou o jogo da Alemanha e acabou sendo derrotada por 3 x 2. Além das dificuldades do sistema, falhas individuais voltaram a se refletir no marcador. Aos 34 minutos do segundo tempo, o lateral-esquerdo André Santos perdeu a bola na área infantilmente para Schweinsteiger e foi o responsável direto pelo terceiro gol dos alemães. O adversário, apesar de demonstrar mais organização tática, também apresentou falhas em seu sistema defensivo. No final da partida, com a marcação ainda mais frouxa, Neymar diminuiu o placar com um chute bem colocado de fora da área. Nos últimos seis jogos, a seleção empatou quatro, venceu um e perdeu outro. O rendimento ruim da equipe deve provocar reações adversas e aumentar as críticas em cima do já contestado treinador. Em sua defesa, ele pede tempo para fazer os ajustes necessários no esquema e no grupo.

Barrado - O técnico Mano Menezes ficou preocupado com a má fase de Ganso e resolveu barrá-lo para o jogo contra a Alemanha. Antes visto como a solução para o setor de criatividade da seleção brasileira, o camisa 10 do Santos iniciou o jogo de hoje no banco de reservas. No segundo tempo, entrou no lugar de Fernandinho e pouco acrescentou.

Não foi pênalti - A partida de hoje teve dois pênaltis marcados pelo árbitro húngaro Viktor Kassai. Na minha opinião, nem a infração marcada para a Alemanha nem a favorável ao Brasil existiram. Assim, o placar moral seria 2 x 1.

Bem batido - Para não dizerem que não falei das flores, vale ressaltar a excelente cobrança de pênalti executada por Robinho. Diante do bom goleiro Neuer, ele bateu bem no canto esquerdo e acabou com a série de penalidades desperdiçadas pelo Brasil.

Inseguro - Mais uma vez, achei o goleiro Julio Cesar inseguro. Ele não teve culpa nos gols, mas está longe da forma que o levou ao Mundial com o status de melhor arqueiro do mundo. Não tem mais jogo importante que ele não solte uma bola nos pés dos atacantes adversários.

Descendo - O lateral-esquerdo André Santos, que foi mal no apoio e péssimo na defesa. O terceiro gol da Alemanha nasceu de uma falha individual do jogador, que é muito contestado pela imprensa brasileira.

Subindo - O meio-campista Schweinsteiger, que marcou um gol e foi o grande destaque da partida. Marcando, cadenciando o jogo e subindo ao ataque com desenvoltura, ele é o maestro da nova geração alemã.

Nenhum comentário: