segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Brasileirão em análise

Vasco goleou o Cruzeiro no último domingo por 3 x 0, em Minas
O Brasileirão está chegando à sua reta final. Restam para a maioria dos clubes 12 rodadas, mas algumas definições podem ser percebidas, em blocos. Numa competição marcada pelo equilíbrio, é difícil cravar quem vai ser o campeão e até mesmo quem vai lutar até o fim pelo título. Há dez rodadas, por exemplo, falava-se num duelo particular entre Flamengo e Corinthians. Hoje, os dois estão longe de serem os favoritos da competição. Por isso, temos que dividir a disputa em compartimentos.
Por enquanto, brigam por três ou quatro vagas (se um brasileiro, tirando o Vasco, conquistar a Sul-Americana, perde-se uma cadeira) na Libertadores Flamengo, Fluminense, Botafogo, Corinthians e São Paulo. Inter e Coritiba alimentam um sonho distante, mas, a menos que consigam uma arrancada pouco provável, devem ficar mesmo com a Sul-Americana. O Palmeiras perdeu força e parece não ter elenco capaz de suportar o tranco. O Fla também está em má fase, assim como o Corinthians, e vai precisar beber guaraná em pó todos os dias para reagir.
Vasco, São Paulo, Botafogo, Corinthians e, se forçarmos um pouco, Fluminense e Flamengo ainda podem beijar a taça e a princesa. Os quatro primeiros ainda não apresentaram um futebol exuberante na competição, mas não deixam dúvidas de que são mais equilibrados. O Flu arrancou no Returno, mas ainda oscila muito e o Fla vem correndo por fora. Se vencer os jogos pendentes, contra Grêmio e Botafogo, o Santos também entra no páreo.
A turma da marola já tem sérios candidatos. O Figueirense, com 36 pontos, é o principal deles. Os catarinenses vencem em casa, perdem alguns pontos fora e fazem uma campanha sem sobressaltos. Devem atingir em breve o objetivo de escapar da zona do rebaixamento e até pegar uma praia na Sul-Americana. Esse grupo dos sonolentos deve ter Inter, Palmeiras, Atlético-GO e Grêmio.
Os desesperados são, sem dúvida, Bahia, Cruzeiro, Ceará, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí e América-MG. Desses sete clubes, quatro devem estar na Segundona no ano que vem. Da turma, o que demonstra poder de recuperação é o Bahia. O Tricolor venceu duas partidas seguidas e saiu do Z-4. Quem deve estar mais preocupado é o torcedor do Cruzeiro. A Raposa despencou na tabela e não apresenta sinais de melhora. Montillo até desequilibra, mas sua qualidade não está sendo suficiente para fazer o time ganhar seus jogos. Apesar do esforço, América e Avaí são hoje os principais candidatos à queda. Para esses, a luta parece ser inglória.

Cenário de 2010 - Na 26ª rodada do Brasileirão do ano passado, o Fluminense liderava com 48 pontos, seguido de perto por Corinthians, com 47, Cruzeiro, 44, Inter, com 41, e Botafogo, com 40.

Fator Grêmio
- O cenário era parecido com o atual. A novidade em 2010 foi o Grêmio, que aparecia com apenas 33 pontos, arrancou na reta final e conquistou a vaga na Libertadores em quarto lugar, com 63 pontos. Com 71, o Fluminense sagrou-se campeão brasileiro.

Rebaixamento - Na 26ª rodada do ano passado, dos quatro clubes que estavam na zona do rebaixamento, dois caíram, Barueri e Goiás, e dois escaparam, Atlético-MG e Atlético-GO. Curiosamente, Guarani e Vitória, os outros rebaixados, estavam tranqüilos na 26ª rodada. O Bugre tinha 33 pontos e o Leão 31. Deitaram na vantagem e despencaram para a Série B. Fica o alerta.

Carregando tabela de Central Brasileirão...
Tabela gerada por Central Brasileirão

Um comentário:

jane disse...

e aí Victor, segundo o Milton Neves, o Atlético Mineiro não cai para a segunda divisão. Como vc avalia?