quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Sky Comics será o maior evento de paraquedismo do Nordeste

O avião alemão Beech 99 vai ser uma das atrações do evento em Maceió
Maceió vai sediar o maior evento de paraquedismo do Nordeste no mês de dezembro. Essa foi a promessa do mineiro Stélio Andrade, que veio ao Estado neste mês para fechar patrocínios e definir detalhes a respeito do Sky Comics Boogie.
O organizador do evento tem muita experiência no esporte e pretende trazer 150 atletas de destaque no Planeta para saltar em Alagoas entre os dias 30 de dezembro e 8 de janeiro.
“Esse vai ser um grande encontro internacional de paraquedismo. Já fechamos com o Aeroclube de Maceió e estamos vendo também a possibilidade de saltarmos no Francês, em Paripueira e até em Arapiraca. Também já temos confirmados saltos nas principais praias de Maceió, Jatíuca, Ponta Verde e Pajuçara. Alguns deles, inclusive, estão marcados para o último dia do ano. Nosso objetivo é demonstrar todo o espetáculo do nosso esporte para o público alagoano e colocar o Boogie no calendário esportivo do País e do Mundo”, explicou Stélio, que visitou a redação de O JORNAL ao lado da paraquedista alagoana Ruth França.
Ela é diretora do Departamento de Paraquedismo do Aeroclube de Maceió e também é uma das atletas de referência da modalidade no Nordeste. Desde que começou a competir, em 1997, Ruth participou da quebra de recordes da modalidade nos quatro cantos do País. “O Paraquedismo já está consolidado no Brasil. Temos hoje atletas de grande destaque até internacional e agora nossa comunidade está muito animada com a possibilidade de participar de eventos como o Boogie em Maceió. Vamos reunir feras do PQD em Alagoas e mostrar todas as nossas belezas naturais”, declarou Ruth, que nasceu em Penedo, passou muitos anos em São Paulo e voltou ao Estado na última década. “Desde que a Ruth retornou a Alagoas, em 2006, o paraquedismo se desenvolveu muito no Estado. Antes, a modalidade não tinha atividade regulares e, com o dinamismo da Rutinha, o PQD ganhou impulso. A prova disso é a realização desse megaevento por aqui”, disse o paraquedista Makosan Lima, mato-grossense radicado em Alagoas.

Tentativa de quebra de recordes

 No Boogie de Maceío, os 150 atletas vão tentar quebrar os recordes alagoano, cearense, sergipano e baiano. Para realizar os movimentos sincronizados a partir dos 5 mil metros de queda, os atletas precisam ter habilidade e entrosamento. Stélio aposta no sucesso da missão.
“Vamos treinar muito para executar as formações com perfeição e atingir marcas importantes no Estado. No próximo ano, quero transformar esse evento no principal do calendário de PQD do País. As paisagens de Alagoas atraem atletas do mundo inteiro e, certamente, eles vão trazer também seus familiares para cá. Vamos também aumentar o fluxo turístico de Alagoas, que já um dos carros-chefe do Estado. Nosso objetivo é fechar com um hotel específico para o evento e dar conforto aos competidores e as pessoas que vierem com eles. Vamos vender também pacotes completos, que incluem os saltos, no nosso site http://www.skycomics.com.br/”, informou Stélio.
Saltos diurnos – Apesar de o evento ser realizado também no último dia do ano, Stélio disse que os saltos vão ser apenas diurnos. “A dificuldade é porque os gastos com voos noturnos são maiores e isso aumentaria até os custos do pacote. No mais, em noite de lua cheia, é perfeitamente possível saltar no escuro. Nesse cenário, a visão do paraquedista é bem parecida com a diurna. Já fiz saltos nessas condições, a Ruth também e não há grandes dificuldades nesse sentido”, explicou.


Evento em Alagoas terá um investimento de R$ 150 mil
 O avião Beech 99

Stélio Andrade contou que as principais razões de Maceió ter sido escolhida para sediar o evento foram as belezas naturais, o apoio do Aeroclube e a viabilização de patrocinadores. De acordo com o promoter, que também é instrutor de paraquedismo, o Sky Comics se banca com uma arrecadação de R$ 150 mil.
“O investimento para a realização do Boogie é muito alto. Só o avião alemão que fechamos recentemente vai ser deslocar para Alagoas por R$ 50 mil. O Beech 99 é bem mais rápido que as aeronaves comuns usadas no Brasil, comporta 17 pessoas, e é ideal para o nosso esporte. Por tudo isso, é importante captarmos recursos com patrocinadores. Já fechamos com a Secretaria de Turismo do Estado e a Convention Bureau e iniciamos os contatos com a Carajás. Há outras cotas de patrocínio e estamos à disposição das autoridades de Alagoas e dos empresários de todo o País”, declarou o promoter, que começou a saltar em 1982. “Meu primeiro salto aconteceu num período romântico do paraquedismo. De lá pra cá, muita coisa mudou no esporte, mas a paixão é a mesma”, acrescentou Stélio.
Ruth França ainda lembrou na entrevista que o organizador do Sky Comics introduziu o salto duplo no País. “Ele trouxe esta novidade para o Brasil há 25 anos. Hoje, esse tipo de salto já é muito difundido. No duplo, o acompanhante sente as mesmas emoções do instrutor e não precisa fazer nenhum curso. É uma experiência segura e inesquecível”, comentou a alagoana.

Profissionais e amadores no evento

Stélio informou ainda que o Sky Comics  vai abrir inscrições para iniciantes na modalidade. Os cursos custam entre R$ 600,00 e R$ 700,00 e duram 10 horas. “Vai ser interessante para quem pretende começar no paraquedismo porque já vai saltar ao lado de grandes atletas da modalidade”, declarou o promoter, destacando que todas as medidas de segurança vão ser tomadas pela organização.
“A partir da década de 90, o paraquedismo se desenvolveu muito no quesito segurança. Hoje contamos com equipamentos de altíssima tecnologia e não descuidamos em nenhum momento. Costumo dizer que o PQD é um esporte potencialmente seguro, dependendo de quem pratica. Pessoas de alto nível e responsáveis estão espalhadas pelo Planeta para iniciarem novas turmas.  Em Alagoas, já temos esses instrutores”, afirmou Stélio.
Ruth disse que a cada 15 dias, mesmo sem fazer propaganda, o Departamento de Paraquedismo do Aeroclube é procurado por interessados na modalidade. “Ofertamos esses cursos durante o ano todo”, informou a atleta e instrutora “Basta procurar o Aeroclube ou ligar para o telefone 3354-2187.É importante destacar que essas aulas habilitam para o salto solitário e que os inciantes vão ser orientados via rádio pelos  instrutores durante o voo”.
Integrantes – Stélio fez questão de agradecer ao presidente do Aeroclube de Alagoas, Saulo Cavalcanti, e outras pessoas diretamente envolvidas na organização do evento.
 “Além do San e da Ruth, temos o Fernando, o Nadinho, o Frank e o Felipe que fazem parte do grupo de paraquedistas do Estado. Também conto com total apoio da Cacau Cipolli, que me ajuda a organizar o Boogie”, lembrou.

Crédito das fotos: Tim Porter

Nenhum comentário: