domingo, 7 de outubro de 2012

Estão brincando com a seleção brasileira

Brasileiros tocam a bola no Estádio Centenário, em Resistência
O nome da seleção brasileira foi jogado na lama na última quarta-feira. Não bastasse a queda abrupta no Ranking da FIFA para a 14ª colocação, o time pentacampeão do mundo se submeteu à humilhação de convocar atletas profissionais, ouvir o hino nacional com sotaque argentino e não jogar por causa da falta de estrutura do estádio de Resistência.

Ficou fácil para os dirigentes da CBF atacarem os argentinos, ressaltando que o local da partida foi escolhido por motivos políticos. Mas, cara-pálida, onde está o poder do veto? Se eles sabiam que não havia estrutura na cidade e no estádio para um clássico entre Brasil e Argentina, deveriam ter batido o pé e exigido outro local. Nada foi feito.

Para dar mais alguns atos a esta ópera-bufa, os cartolas dos dois países já entraram em acordo para marcar mais uma partida no mesmo estádio. Os clubes deveriam liderar uma revolta e não autorizar a convocação de seus atletas. A imprensa também deveria protestar relegando o clássico aos rodapés da cobertura. Assim, quem sabe, os dirigentes teriam mais cuidado ao gerenciar as históricas camisas de Brasil e Argentina.

 

Nenhum comentário: