quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Conflito de gerações












Liberdade nas ruas sem bandeira
Traça planos imediatos em cada grito
Corre, ateia fogo e diz, festeira:
- O instante é maior que o infinito
Liberdade jovem tem nas preces
Os ouvintes surdos de prudência
Todos vão e batem até que cessem
Os tambores da frágil experiência

Velhos ouvem aquelas vozes ao longe
Lembram que ainda entoaram cantos
Já sem forças não recuam, não se escondem,
Mas as frases são forçadas, vêm aos prantos

Eles poderiam juntar, unir os versos
E vencer, de pronto, presente e saudade,
Mas preferem no front seguir dispersos
Sendo servis ao tempo e à falsa liberdade

(Victor Mélo)

Um comentário:

Anônimo disse...

Victor, sou suspeita para falar, mas cada dia curto mais seu trabalho. Parabéns, mais sucesso e muita saúde. Parabéns pelo texto.