segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Mudanças ao som de Chopin

Amigos, o blog mudou a linha editorial. Deixamos de fazer a cobertura esportiva para adotar uma nova linha cultural, ligada a questões pertinentes à música, à literatura e às palavras colocadas em frases marcantes.

Frédéric François Chopin
Começamos esta nova fase com toques precisos nas teclas do piano. Em pauta, trazemos hoje uma singela homenagem ao polonês Frédéric François Chopin, sempre tão moderno. Ações suaves no ébano ou no marfim, baladas definitivas e composição de peças excepcionais ao piano fizeram do homem uma referência para a música, capaz de vencer os séculos e conquistar novos súditos bem longe de sua aldeia.

Na Polônia, dizem que todas as crianças nascem ouvindo os lamentos do pianista, e carregam pela vida a imponência de sua música e o orgulho de refazer nas ruas os caminhos por ele percorridos.

Apesar da vasta contribuição à música, o compositor morreu jovem, aos 39 anos, já radicado em Paris, França. O Nocturno Opus N°2, apresentado ao fim deste post, reverencia a lua e os enigmas revelados após o pôr do sol. Há muito do pianista nas notas dessa bela composição.

Patriota

A invasão russa fez Chopin se exilar na França aos 20 anos, mas ele jamais esqueceu a pátria. Onde quer que fosse o compositor levava um jarro de prata com terra da Polônia. Curiosamente, os restos mortais do músico estão no Père Lachaise, cemitério de Paris, mas o coração foi enviado logo após a morte à Catedral de Varsóvia, na Polônia.

Fragilidade

O músico polonês nasceu no dia 1o de março de 1810, em Żelazowa Wola, e morreu em 17 de outubro de 1849, de tuberculose.

O início

A primeira atuação pública de Chopin foi aos oito anos. Comparado na genialidade a Beethoven, o compositor dizia odiar a música do alemão, que considerava barulhenta demais.


[

Nenhum comentário: